Brasil: Travesti acusada de sacrificar homem no lugar de cabra em ritual religioso é presa.

Foi presa nesta quinta-feira (18), em Rio Largo, uma travesti, que estava foragida da justiça, acusada de participar de um homicídio triplamente qualificado no município São Miguel dos Milagres, no Litoral Norte de Alagoas. A prisão, que aconteceu no bairro Gustavo Paiva, em Rio Largo, foi possibilitada por uma investigação de aproximadamente 30 dias do Núcleo de Investigação Especial (NIESP), da Polícia Civil (PC). A acusada deverá ser levada para o sistema prisional.

Jouse, como é conhecida a travesti, foi denunciada pelo Ministério Público Estadual de Alagoas (MPAL) por participar, com mais duas pessoas, da morte de Clivanildo Santos Lima durante um culto religioso, no dia 09 de dezembro de 2015. O corpo de Clivaldo Lima foi encontrado em uma área de descarte irregular de lixo e testemunhas teriam visto a travesti e a filha de santo carregando um pacote suspeito em um carro de mão, no dia do crime.

De acordo com o MPAL, Jouse e Jardiel Brito Moura e Lilian Maria dos Santos Araújo cortaram o pescoço de Clivanildo com uma faca e o deixaram sangrar até a morte. A vítima estava embriagada e teria sido atraída por Jardiel a um terreiro de candomblé liderado pela travesti, que é mãe de santo.

Ainda conforme a investigação, o sacrifício seria feito com um animal, mas o trio desistiu e optou por fazer com um ser humano. “Há relatos ao longo do IP (Inquérito Policial) que falam que os acusados precisavam sacrificar um animal neste dia, e teriam até tentado fazer isso com uma cabra, contudo, descobriram que estava grávida e desistiram, preferindo sacrificar um ser humano”, diz outro trecho da denúncia.

Fonte – Fonte: TNH1/PCAL/MPAL/NIESP