VÍDEO: Mulher tem roupas íntimas furtadas, instala câmera de segurança e flagra “cheirador de calcinhas”

Um homem de 57 anos foi preso no sábado (10) acusado de furtar calcinhas e outras roupas íntimas femininas em Jijoca de Jericoacoara, no Ceará. Segundo o boletim de ocorrência, o agricultor pulou o muro da residência e furtou várias peças íntimas.

De acordo com a polícia, a proprietária da casa se cansou tanto de ter suas peças íntimas furtadas e instalou câmeras de segurança no local para identificar o criminoso.

Ainda segundo a vítima, além de furtar as peças, ele se masturbava na rua. “Ele cheira as calcinhas e na rua ficou olhando para uma moça se masturbando. Ele é preso, mas é solto e continua agindo”, relatou.

A decisão da proprietária da casa de instalar câmeras de segurança após repetidos furtos destaca a importância de medidas de autoproteção frente a atos criminosos recorrentes. Este caso não apenas ilustra uma invasão de privacidade alarmante, mas também a perturbação causada na comunidade pelo comportamento inapropriado do indivíduo em espaços públicos.

A narrativa da vítima, mencionando que o acusado já havia sido preso anteriormente por ações semelhantes, levanta questões sobre a eficácia do sistema jurídico em prevenir a reincidência de crimes e em proteger adequadamente as vítimas.

O relato de que o homem se masturbava em público, além de furtar as peças íntimas, sublinha a necessidade de uma abordagem mais abrangente para lidar com comportamentos desviantes, incluindo avaliação e tratamento psicológico adequados para os infratores.

Este caso ressalta a necessidade de comunidades e autoridades trabalharem juntas para criar ambientes mais seguros, promovendo a conscientização sobre a segurança residencial e a importância de denunciar atividades suspeitas.

Além disso, enfatiza a importância de políticas públicas e programas de reabilitação que abordem as causas subjacentes do comportamento criminoso, visando não apenas a punição, mas também a prevenção de futuras infrações.