Menina indígena de 7 anos é violentada e mãe e irmão são encontrados mortos no AM

Após o resgate dela, a polícia encontrou a mãe e o irmão dela, que tinha 4 anos, mortos a tiros.

Com marcas de agressão e estupro, uma menina de 7 anos, de origem colombiana e indígena, foi encontrada em uma comunidade em Benjamin Constant, no interior do Amazonas, no domingo (28). Após o resgate dela, a polícia encontrou a mãe, de aproximadamente 35 anos, e o irmão dela, que tinha 4 anos, mortos a tiros.

Ainda não há informações sobre as circunstâncias e motivação dos crimes. A menina foi achada em uma área de mata, caminhando em direção à uma comunidade daquele município. Ela também apresentava um ferimento no pescoço e estava muito debilitada.

A menina foi encaminhada ao hospital para receber os cuidados necessários e realização de exames, que constataram várias lesões pelo corpo dela, bem como um estupro de vulnerável.

Conforme a delegada Luciana Lima Nasser, titular da da 51ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Benjamin Constant, no hospital, a criança foi ouvida durante escuta especializada, na presença de um psicólogo. Ela está sob a guarda do pai.

A garota, que fala espanhol, informou que vivia com a mãe e o irmão de quatro anos em uma casa perto da roça e eles estavam desaparecidos.

Depois de caminhar cerca de duas horas, a equipe policial chegou até a casa, mas não havia ninguém.

Em continuidade às investigações, na segunda-feira (29), a Polícia Civil, com apoio da Secretaria Municipal de Segurança Pública, Trânsito e Defesa Social de Benjamin Constant, encontrou o corpo da mãe e do irmão da criança sem vida.

O corpo da mulher estava coberto por folhas de bananeira, com perfurações, possivelmente provocadas por tiro de espingarda. O filho foi encontrado em um outro local com o pescoço degolado.

Segundo a delegada, a mulher e o filho também seriam de origem colombiana e indígena. Eles foram encontrados com sinais de disparos de arma de fogo e, também, foi solicitado exame de conjunção carnal.

A Polícia Civil destaca que as investigações estão sendo executadas de maneira célere para identificar e prender quem seria o responsável pelos crimes.

Fonte – Em Tempo.