Weverton comemora mais uma final de Libertadores e elogia Abel: muito motivador

inbound2966016256958091607

PUBLICIDADE

O goleiro negou a concepção de que o Alviverde, sob o comando do técnico português, pratica apenas um futebol defensivo: “Eu acho que você tem que entender os dois lados das coisas. Às vezes, as pessoas falam que a gente joga só para se defender. Mas, se você analisar o jogo friamente, vai ver que o Éverson fez pelo menos umas três defesas. Tivemos boas chances de ganhar no segundo tempo.”

“No primeiro jogo, o Palmeiras não chutou, mas eu também não fiz nenhuma defesa. Às vezes acham que só o Palmeiras que deve dar espetáculo. Não… a gente tem que entender o adversário, que tem qualidade. Se olhar detalhe por detalhe, finalização por finalização, volume de jogo, foi um jogo aberto, em que as duas equipes tiveram chance de vencer”, completou.

Citando a presença do troféu da Libertadores no vestiário, Weverton elogiou o treinador: “O Abel é um cara muito motivador, que procura sempre trazer à nossa memória aquilo que nos dá esperança, que já fizemos, que podemos voltar a fazer. Ter a taça naquele momento é lembrar a oportunidade que a gente tem de voltar a uma decisão de Libertadores.”

Weverton também comparou as semifinais de 2020 e 2021 do torneio continental: “São duas situações diferentes, dois times diferentes. Contra o River Plate, a gente largou bem no primeiro jogo, conseguimos uma boa vitória. No segundo, tivemos muita dificuldade. Contra o Atlético, uma grande equipe, foi um jogo mais estudado, de tática. Os dois treinadores se conhecem mais e acho que prevaleceu a estratégia do Palmeiras, aquilo que o Abel planejou foi muito bem executado. Temos que dar os parabéns a ele, à comissão e a todos os jogadores.”

Por fim, o atleta de 33 anos falou sobre os objetivos do time: “O Palmeiras busca sempre entrar para vencer. Temos que entender que, às vezes, as coisas não saem como a gente quer. Tem um adversário do outro lado que também quer a vitória. Mas o que se cobra aqui dentro é que a gente esteja sempre disputando títulos, nas finais, no topo.”

“Todo mundo sabe o espírito que tem que ter para jogos de decisão. Isso vai nos amadurecendo: temos dois, três anos com o mesmo elenco. A gente vai disputando finais e isso traz experiência”, acrescentou.

Agora, o Palmeiras volta o foco para a 23ª rodada da Série A. Vice-líder com oito pontos de distância do Galo, o Verdão recebe o Juventude, no domingo, às 18h15 (de Brasília), no Allianz Parque.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.