dentro

Vídeo mostra funcionário de Gabriel Monteiro orientando morador de rua a simular furto e depois sofrer abordagem do vereador

Um vídeo obtido pelo g1 mostra um homem que diz morar na rua sendo orientado a simular o furto de uma bolsa na Lapa, no Centro do Rio. Depois de fazer isso, ele é abordado pelo vereador Gabriel Monteiro (sem partido), que o questiona pelo ato.

Pouco tempo depois, um segurança empurra a pessoa em situação de rua no chão. Procurado, Gabriel Monteiro afirmou que o vídeo é um “experimento social” (leia íntegra da nota mais abaixo).

No vídeo, um homem de camisa preta e boné preto se aproxima de uma pessoa em situação de rua próximo à Sala Cecília Meireles, na Lapa, no Centro do Rio. Ele pede que o homem jogue a bolsa de uma mulher, que está no chão, por cima de dois carros. O objetivo era simular um um furto. 

“Aí tu vai pelo cantinho, ela não está nem vendo. Ela é autista, não vai nem se ligar”, orienta o homem. A pessoa em situação de rua pede R$ 400. “Não tem como te dar o dinheiro, não dá pra saber se tu vai fazer”, responde o homem de camisa preta.

O morador de rua, desconfiado, pede para que o homem lhe dê uma parte do dinheiro adiantada para pegar a bolsa. “Só depois que eu ver a senhora correndo ali no meio da rua que eu vou acreditar que funcionou. É só pegar a bolsa que está ali no chão”, responde o homem.

Depois de mais algum tempo, a ação acontece. Acompanhado de quem falou com ele pouco antes, o homem que mora na rua joga a bolsa por cima dos carros. Logo em seguida, é abordado por Gabriel Monteiro.

“Tu jogou essa bolsa ali para quê?”, questiona o vereador.

Há uma discussão entre ele e Gabriel Monteiro.

“Ele ia pegar. Ele só mandou eu pegar porque ele ia me dar os R$ 400 reais. Ele que mandou”, responde o homem, indignado.

“Tem duas viaturas aqui, você vai fazer o quê então?”, diz o vereador. “Então me dá o dinheiro”, pede o homem. “Você ainda quer o dinheiro? “, questiona o Gabriel Monteiro.

Há um corte no vídeo. Em seguida, um homem de camisa bege, segurança de Gabriel Monteiro, aparece nas imagens discutindo com o homem que mora na rua e o empurra, entre xingamentos e gritos. É o policial militar Pablo Foligno, que em sua rede policial diz participar da equipe do vereador.

“Covardia”, grita o morador de rua, ainda no chão. O segurança, com a arma à mostra na cintura, entra no carro e o vídeo é encerrado. De acordo com Monteiro, os seguranças estavam protegendo a equipe.

Gabriel Monteiro afirma que o homem de camisa preta que aborda o morador de rua é um dos seus ex-funcionários que aparece nas denúncias feitas no Fantástico, no último domingo (27).

No programa, ex-funcionários de Gabriel relataram episódios de assédio moral e sᕮxual, agressões físicas e afirmaram que alguns de seus vídeos postados em redes sociais foram forjados. Além disso, uma mulher o acusa de estupro. VEJA O VÍDEO AQUI

Conselho de Ética

No próximo dia 5 de abril, os membros do Conselho de Ética vão decidir sobre uma possível representação contra o vereador, com base na última denúncia que chegou ao conhecimento da Câmara. A decisão foi adiada em uma semana. Os políticos vão avaliar acusações feitas por pessoas que trabalharam para Gabriel Monteiro.

Frases sobre LGBTQIA+

Em outro vídeo, Gabriel Monteiro aparece orientando um assessor, Rick, a fazer perguntas em tom difamatório sobre a população LGBTQIA+. “Vai numa construção disso: raiva de gay. Gay não deveria existir, gay só faz m….”, diz ele, em um dos áudios presentes no vídeo. Em outro momento, Monteiro direciona uma das perguntas.

“Fala assim, gay transmite muita doença, por isso tem que ser afastado da sociedade”. Em seguida, manda perguntar ao entrevistado se “Deus não gosta de gay”. No vídeo publicado em seu canal em agosto de 2021, Gabriel Monteiro aparece com sua voz em off, dizendo que o vídeo é um experimento social.

“O objetivo desse vídeo é mostrar que ainda existem pessoas que acham que tem que matar e prender pessoas gays”, afirma ele. O vídeo ainda está no ar no canal do influenciador, vereador e ex-policial militar. Ele afirmou ainda que as frases não refletem sua visão a respeito do assunto.

“De maneira nenhuma reflete qualquer pensamento meu a comunidade LGBTQIA+, era justamente para avaliar como as pessoas lidam com o tema relacionado a homossexuais.”

Denúncia de deputado

As denúncias chegaram ao deputado estadual Giovani Ratinho (Pros), que já registrou queixa em delegacia por vídeos em que Gabriel Monteiro, segundo denúncias recebidas, se gravou fazendo sᕮxo com mulheres.

“O vereador Gabriel Monteiro cria falsas narrativas simulando um assalto com um morador de rua em um dos vídeos. Também demonstra total desprezo e preconceito contra população lgbtqia+ no vídeo proferindo palavras horrível que demonstram clara LGBTfobia”, afirmou ele, que pediu ajuda às comissões da Assembleia Legislativa do Rio para investigar as denúncias:

“Estou pedindo que as comissões da Alerj me ajudem com essa situação absurda. Ele precisa ser investigado e responsabilizado por suas atitudes.”

O que diz o vereador

Procurado para falar sobre os dois vídeos citados, Gabriel Monteiro respondeu:

“São experimentos sociais, um quadro difundido mundialmente em inúmeros canais na internet, nos visando desconstruir pensamentos e ideias preconceituosas propomos uma situação em que as pessoas são testadas. O intuito é sempre o mesmo, a conscientização da pessoa com a intervenção do Gabriel, que muitas vezes as auxilia a buscar um melhor caminho, bem como, ser pedagógico para a sociedade em geral que assiste o vídeo.

O que você acha?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.