dentro

Tontura é Coisa Séria: campanha alerta sobre a relação entre a tontura e a ansiedade

Nesta sexta-feira (22), é celebrado o Dia Nacional da Tontura e com o slogan “Tontura é Coisa Séria”, a Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORL-CCF) discute a relação entre a ansiedade e a tontura.

Segundo informações da Organização Mundial da Saúde, cerca de 30% da população mundial sofre com o problema, que afeta principalmente mulheres. A tontura pode indicar problemas mais graves como um acidente vascular cerebral (AVC).

Jeanne Oiticica, do Departamento de Otoneurologia da associação, disse em entrevista à Agência Brasil que “a tontura ou a falta de equilíbrio e de orientação espacial pode ser uma coisa séria. Então é sempre importante averiguar o que está acontecendo porque existem muitos fatores responsáveis pela tontura. Por exemplo, uma tontura aguda, com uma vertigem, onde tudo roda, com náuseas, vômitos e em que não se consegue parar em pé pode ser um sintoma de AVC”. Ela complementa que a tontura precisa ser investigada, já que ela é um sinal de que algo não está bem.

A relação entre a ansiedade e a tontura

Os dois problemas podem ter relação e os casos se agravaram durante a pandemia da covid-19. “Os problemas podem ser o mais diversos possíveis. Pode, por exemplo, ser um problema hormonal, metabólico, soltura dos cristais dentro do ouvido ou ansiedade, estresse, depressão”, afirma Jeanne.

Segundo dados da OMS, em 2020, primeiro ano da pandemia, a ansiedade e depressão cresceram 25% em todo o mundo. 

Guilherme Paiva Gabriel, otorrinolaringologista da ABORL-CCF e coordenador da Campanha da Tontura, explica que a campanha de 2022 da associação aborda a relação e a influência da ansiedade com a tontura. E conta que durante o período de isolamento social, as dificuldades emocionais se agravaram.  “Percebemos que quadros de pacientes com ansiedade e tontura se tornaram mais frequentes em consultório nos últimos dois anos”, completa.

Um estudo publicado pela Revista Brasileira de Otorrinolaringologia, mostrou que a tontura geralmente não é um motivo que faz as pessoas procurarem auxílio médico, mas em alguns casos ela pode trazer sérias limitações, que impactam na qualidade de vida. Quando os casos forem frequentes, a pessoa deve procurar um otorrinolaringologista.

Informações Agência Brasil

O que você acha?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.