"Tive medo de morrer", diz criança hostilizada por receber camisa de rival

Sem titulo 344

Hoje, Bruninho comemora, mas no último fim de semana, ele e o pai passaram por momentos de apreensão. Os dois estavam no estádio Vila Belmiro, em Santos (SP), assistindo ao clássico Santos e Palmeiras. No final do jogo, o pequeno torcedor, de apenas 9 anos, pediu a camisa do goleiro palmeirense Jailson. Depois que o goleiro entregou a vestimenta, pai e filho, santistas, começaram a ser hostilizados. 

“O meu medo era sair do estádio, porque eu via o ódio no rosto das pessoas pelo fato de ele ter pego uma camisa de um cara que ele gosta”, disse Moisés do Nascimento. “Me senti com medo de acontecer alguma coisa lá. De eu morrer lá”, acrescentou Bruninho.

O vídeo que mostra toda a situação só veio repercutir nas redes sociais na tarde de 3ª feira (9.nov). Depois disso, a vida dele mudou. Diversos apoiadores, marcas e até jogadores começaram a mandar mensagens pra eles. Durante a gravação da reportagem, as mensagens não paravam de chegar. Entre elas, a do jogador da Seleção Brasileira Richarlison.

E teve mais craques mandando mensagens, entre eles, Pelé. Nas redes sociais, o Rei postou: “Bruninho, você não precisa pedir desculpas por ser apaixonado por futebol. O nosso esporte é lindo, mas seria melhor se todos torcedores tivessem o seu coração. Como pode ver na foto, eu também tinha um ídolo que jogava no Palmeiras, viu? Seja sempre feliz!”.

As mensagens também vieram de Gabigol e do craque Neymar, que inclusive, disse que vai mandar um kit personalizado, para o jogador de 9 anos.

Por meio de nota, o Santos lamentou o ocorrido, dizendo que não compactua com qualquer tipo de violência. E para diminuir os impactos, convidou o garoto para acompanhar o jogo do Peixe com o Bragantino, também na Vila Belmiro.

Bruno só quer agora poder torcer para o time que ama, mas sem qualquer tipo de rivalidade com times concorrentes. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.