Senna responde à Balestre sobre cancelar sua Superlicença FIA

390804 263041183755889 100001500275842 719017 637288582 n

O Fluminense

Niterói, sexta-feira, 12 de janeiro de 1990

ANGRA DOS REIS – o piloto Ayrton Senna, campeão do mundo de Fórmula 1 de 1988 e vice em 89, se negou ontem a comentar as declarações do Presidente da FIA (Federação Internacional de Automobilismo), Jean-Marie Balestre de que cancelaria sua Superlicença se ele não se retratasse publicamente. “Não tenho nada a declarar”, disse Ayrton Senna, parodiando o ex-Ministro da Justiça, Armando Falcão, ao atender a imprensa apenas por alguns minutos na porta da mansão do empresário paulistano Antônio Carlos de Almeida Braga, no condomínio Portogalo, em Angra dos Reis, onde está passando férias desde segunda-feira com os irmãos. Ao ser perguntado se já tinha feito contato com sua escuderia, a McLaren, o campeão do mundo apenas sorriu. “Não tenho nada a declarar”, insistiu.

Ayrton Senna resolveu atender os repórteres que o esperavam há quase duas horas depois de ler os jornais que traziam a notícia de que Jean-Marie Balestre exigia uma retratação pública do piloto – caso contrário, não renovaria sua Superlicença.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.