Revoltante: pais são suspeitos de espancar e estuprar filha de dois anos até a morte

Brasil – Politraumatismo, fratura de costela, lesões múltiplas no abdômen e no tórax e abuso sexual. Essas foram as marcas encontradas pela perícia da Polícia Civil no corpo da pequena Maria Valentina Alves, de apenas um ano e dois meses. A menina foi encontrada morta em casa, em Montes Claros, no Norte de Minas Gerais, nesta terça-feira (6). Os suspeitos do crime são os próprios pais dela, que foram presos no mesmo dia da morte.

De acordo com a Polícia Civil, além das lesões no corpo, indicando um espancamento, a pequena ainda pode ter sido vítima de abuso sexual, já que o laudo medico encontrou dilaceração no ânus dela. A Polícia Civil apura agora se os pais praticavam ou eram coniventes com os supostos abusos sexuais e as possíveis agressões.

Ao serem presos, os dois se acusaram mutuamente, a mulher, de 28 anos, diz que o pai é o agressor da criança e o homem, de 36 anos, acusa a companheira. Segundo os levantamentos iniciais da Polícia Civil, a vítima teria levado golpes que causaram lesões em várias partes do corpo.

Um irmão da vítima, de 4 anos, disse à Polícia Militar que viu o pai bater na irmã pouco antes da morte e que ele já tinha batido nela outras vezes. Os pais serão investigados pela Polícia Civil por homicídio qualificado.

A mãe contou aos militares que trocou a fralda da criança, deu mamadeira a ela e a colocou para dormir, durante a madrugada de terça. A suspeita disse que também dormiu. Na manhã do mesmo dia, ela disse ter sido acordada pelo seu pai, que é avô materno da criança, dizendo para que a neta estava morta. De acordo com a Polícia Militar, a mãe, Maria Valentina e três irmãos da criança dormiam na mesma cama quando a menina foi encontrada morta.

A mulher saiu para a rua com a filha no colo pedindo para que chamassem a polícia, pois a menina estava morta. Os militares foram acionados para o local por vizinhos e levaram o corpo da criança para o Instituto Médico Legal (IML) de Montes Claros, onde foram realizados exames que vão auxiliar nas investigações. A mulher foi presa no local.

Pai da criança fugiu logo após a morte

O pai da criança fugiu logo após a morte em um mototáxi. A Polícia Militar montou uma operação, nesta terça, com a ajuda de cães farejadores e um helicóptero para procurá-lo. O suspeito foi encontrado, já no fim da noite, no bairro Monte Carmelo, onde a irmã dele mora. Ele caminhava pela rua e, ao ver os policiais, tentou fugir e resistir a prisão, mas foi contido.

O suspeito disse ainda que fugiu por ter problemas com a Justiça. Ele tem passagens policiais por homícidio tentado, violência doméstica, ameça, tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo.

Familiares ajudaram suspeito a se esconder

Segundo a Polícia Militar, o homem teve a ajuda de três familiares para se esconder. O trio foi detido também para prestar esclarecimentos à Polícia Civil. Eles assinaram foram ouvidos, assinaram um Termo Circunstânciado de Ocorrência (TCO) e foram liberados.

Aos militares, o suspeito negou o crime e culpou a mãe de Maria Valentina Alves pela morte dizendo que a mulher teria agredido a filha. Já a mulher relatou aos policiais civis que o pai agrediu a menina.

Nesta quarta-feira (7), a Polícia Civil abriu inquérito para dar andamento nas investigações sobre o caso. O corpo da vítima ainda está no IML e aguarda a retirada por familiares para enterro e velório.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.