Ravencoin (RVN) vira queridinha dos mineradores caseiros e dispara 100%; entenda

ravencoin

A Ravencoin (RVN) é a criptomoeda do top 100 que mais cresceu ao longo da semana, acumulando ganhos que superam 100%. O token também é o que mais valoriza nesta terça (10), em alta de 31%, segundo o CoinMarketCap.

O impulso fez a RVN bater a cotação mais alta em três meses de US$ 0,13. Neste ritmo, a moeda diminui sua distância da máxima histórica de US$ 0,28, alcançada em fevereiro. 

Outro destaque é o crescimento de mais de 300% no volume do criptoativo nas últimas 24 horas, ultrapassando a marca de US$ 500 milhões. 

Embora acompanhe o desempenho positivo que se espalha por todo mercado cripto nesta terça, a moeda ganha um destaque especial ao registrar os maiores ganhos do setor. 

À medida que o ETH passou a adotar um novo sistema de taxas em que os tokens usados para custear as transações passam a ser queimados ao invés de ir aos mineradores, esse grupo pode estar atrás de alternativas. 

Assim como o ether, a Ravencoin é uma criptomoeda que pode ser minerada pelas placas de vídeo (GPU), utilizada principalmente pelos mineradores caseiros. O site WhatToMine que calcula quais criptomoedas são as mais lucrativas para a atividade, aponta que a  Ravencoin oferece o segundo melhor rendimento aos mineradores, atrás apenas do ETH. 

Minerar RVN gera US$ 6,55 por dia e ao excluir US$ 1,22 do custo da operação, o lucro final fica em torno de US$ 5,33 — um pouco menor que o rendimento do ether de US$ 6,17.

Por outro lado, a lucratividade da mineração vai depender da GPU que o minerador possuir. A RVN se mostra mais lucrativa que Ethereum em modelos como NVIDIA GeForce RTX 3080 Ti e LHR, NVIDIA GeForce RTX 3070 Ti, AMD Radeon RX 6800, NVIDIA GeForce RTX 2080 Ti, entre outros.

Com um fornecimento limitado de 21 bilhões de tokens, dos quais 40% já estão em circulação, a Ravencoin gera uma recompensa de 5.000 RVN a cada bloco minerado. 

Alternativas ao Ethereum

A tendência é que o interesse dos mineradores caseiros por ETH diminua cada vez mais à medida que se aproxima a chegada do Ethereum 2.0, a nova versão da moeda que vai adotar a prova de participação, o consenso que tornará a mineração obsoleta.

A Ergo (ERG), uma croptomoeda classificada como a terceira mais lucrativa para minerar com GPU segundo o WhatToMine, também dispara 20% nas últimas 24 horas e 110% na semana. O Ethereum Classic (ETC), que também pode se tornar uma saída estratégica para os mineradores, também sobe 20% nos últimas 7 dias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.