Professor homenageou sua aluna falecida se vestindo como o último desenho que ela lhe deu

Sem titulo 472

O luto e a perda não são processos fáceis de digerir, independentemente do nível de proximidade que se tenha com a pessoa que partiu. Cada um atravessa essa etapa da vida de uma maneira diferente, sendo que, na maior parte das vezes, a dor é força motriz de uma mudança mais profunda de algo que antes era impossível de se mensurar.

Como fazer com que aquela ausência seja honrada pelos que ficaram? Não existe uma resposta certa para essa pergunta, e apenas cada um vai saber o que fazer olhando no seu íntimo e tentando lembrar das coisas que realmente valiam a pena para aquele indivíduo. Para os que ficam, aquela pessoa nunca poderá ser substituída porque todos somos insubstituíveis, mas podemos, ao menos, tentar ressignificar partidas, imaginando que podem ser belos inícios.

Como já foi dito, não existe um jeito certo de lidar com a perda, e quanto mais próxima a pessoa é, mais difícil se torna de compreender aquela falta, aquele buraco que nunca mais poderá ser tapado.

É como se apenas tivéssemos que aprender a conviver com aquele vazio, com aquele excesso de silêncios significativos, tentar encontrar sinais de que aquela pessoa segue nos olhando e nos acompanhando de onde estiver.

As incertezas podem ser sufocantes, mas com o passar do tempo, podem virar coisas mais bonitas, como se fossem plantas que achávamos que não vingariam, mas que se transformam em lindas flores. Qualquer tipo de analogia que fizermos ao longo deste texto pode soar um pouco clichê, mas é assim que algumas sensações são exprimidas, principalmente quando são subjetivas e complexas.

Para o professor de uma escola infantil no México, Iván de Luna, uma das melhores e mais criativas formas de homenagear uma aluna que faleceu há algum tempo foi usando algo que o fazia lembrar dela e demonstrar isso para a realidade. Ele decidiu aproveitar as comemorações de “Halloween” deste ano para fantasiar-se de acordo com o último desenho que recebeu da menina.

Sem titulo 470

Em uma emocionante publicação em seu perfil do Facebook, Iván conta que se disfarçou do desenho que Alejandra, sua aluna que morreu há pouco tempo, fez para ele. No desenho podemos ver a imagem de um homem muito sorridente, usando um boné, camiseta e short, e ao lado está escrito “Mestre Iván”.

O professor decidiu replicar esse desenho em sua fantasia deste ano, para que pudesse passar a ocasião com roupas com algum significado. Com calças e casaco de moletom brancos, ele copiou o desenho de Alejandra na roupa em bordas pretas, além de uma máscara que imitava perfeitamente o que estava no papel, apenas em tamanho maior.

Muitos usuários acharam a homenagem extremamente sensível, rasgando elogios ao professor. Alguns disseram que seu coração é enorme, enquanto outros falaram sobre a importância da profissão na vida das pessoas. Com esse gesto, Iván tentou honrar, de alguma forma, a memória da menina apelidada de Ale usando um evento considerado comum.

Sem titulo 471

As circunstâncias da morte de Alejandra não foram esclarecidas, mas muitos portais de notícias latino-americanos e estrangeiros entraram em contato com o professor para saber um pouco mais da ideia. Pode parecer um pequeno gesto, mas também significar uma forma de honrar aqueles que já se foram. Com mais de 60 mil curtidas e 44 mil compartilhamentos no Facebook, a atitude de Iván viralizou em países vizinhos. Quanta sensibilidade em um momento tão delicado!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.