Preso vira blogueiro e detalha rotina em presídio nas redes sociais

Sem titulo 40

Mesmo estando atrás das grades, um homem exibe pela Internet sua rotina diária em um presídio, localizado no Norte Fluminense . Com 2.159 seguidores em uma rede social, o detento revela, entre outras coisas, parte das dependências da unidade em que está preso, e ainda que é possível preparar um misto quente em uma das celas. Além disto, ele tambem responde perguntas formuladas por quem curte os seus posts.

As gravações, sempre embaladas por pagodes e raps, teriam sido feitas no presídio Dalton Crespo, em Campos, no Norte Fluminense.

Numa das cenas postadas, o detento filmou as grades da prisão em meio a lencóis e roupas penduradas. Em outra, ele gravou um jogo de futebol disputado pelos internos no pátio da prisão. Para não ficar mal com colegas de cela, teve o cuidado de exibir apenas os pés dos detentos, evitando mostrar os rostos dos jogadores. No mesmo post, ele digitou uma mensagem se refereindo ao momento de lazer:” hoje foi tudo na paz”, escreveu.

Mas, as mensagens veiculadas pela internet também mostram os “deveres” de quem compartilha a mesma cela, como o de tentar manter limpo o ambiente : “hoje foi dia de faxina”, digitou em um post, que exibe um vídeo de detentos limpando com água sabão e rodos. A limpeza acontece no que parece ser um corredor interno que dá acesso às celas.

Uma outra postagem revela que internos têm até uma espécie de momento gormet. O vídeo exibe a preparação numa cela de uma sanduiche com queijo e presunto sendo preparado em uma sanduicheira improvisada. A mesma imagem traz a palavra bom dia, dando a entender que a guloseima estava sendo preparada para o café da manhã.

Mas, além de mostrar o dia a dia de quem está preso, o detento também usa a internet para interagir com seus quase 3 mil seguidores. Numa postagem, uma seguidora pergunta se os internos estão recebendo visitas normais, como antes da pandemia, ou se o período de visitação está reduzido. ” Está normal”, escreveu na resposta.

Em uma outra postagem, ele escreveu “Minha terra natal é Macaé, Rio de Janeiro, enquanto postava a imagem de um local que com uma rua de paralelepípedo cortada por um canteiro central”. Procurada, a Secretaria estadual de Administração Penitenciária ainda não comentou o assunto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.