Presidente do Santos deixa escapar e fala sobre negociação de Marinho com o Palmeiras

inbound6518056233629774159

O presidente do Santos, Andres Rueda, negou que houve erro médico no processo de recuperação do atacante Marinho. O jogador deu uma entrevista, na última terça-feira, e criticou a forma como o problema na coxa esquerda foi tratado pelo departamento médico do clube.

PUBLICIDADE

O camisa 11 do Santos não atua desde o fim de julho devido a um hematoma na coxa esquerda. Existe a expectativa de que ele volte a ser relacionado para o jogo deste sábado, contra o Bahia, na Vila Belmiro, pelo Campeonato Brasileiro. Rueda explicou o que foi feito pelo departamento médico para recuperar Marinho.

“Ele vinha de uma fibrose, fazia a transição, mas teve um hematoma na coxa esquerda. Hematoma, como é tratado? O primeiro procedimento é fazer uma pulsão, tentar chegar com uma agulha ao lugar com o sangue coagulado. Isso foi feito, procedimento normal, mas não deu o resultado esperado. A coxa não desinchou. Isso acontecendo, com todo apoio da diretoria e equipe médica, o Marinho foi levado para o Einstein em São Paulo, para ser atendido pelo principal médico nesta área”, disse o presidente.

“Ele foi avaliado, e o que foi dito? O primeiro procedimento era uma pulsão, mas o volume é alto, então tem que fazer uma drenagem. Drenagem pode fazer em qualquer lugar, mas por ser um ativo importante do clube, ela seria feita em um centro cirúrgico. Essa drenagem é fazer uma abertura, e o dreno puxar o sangue para fora. Isso foi feito, colocado os pontos, e processo de recuperação normal. Fez a fisioterapia que tinha que ser feita, e agora está em um processo de readequação para, quando estiver 100%, ficar a disposição para jogar. O entendimento de que houve erro médico não se aplica nesse caso”, emendou Rueda.

O dirigente santista também falou sobre as consultas recebidas pelo atacante. Segundo Marinho, houve propostas de Palmeiras e Atlético-MG. Rueda, porém, negou que tenham ocorrido tratativas com o Galo e confirmou apenas uma conversa com o Palmeiras.

“Você tem conversa, consulta e proposta formal. O clube não teve nenhuma consulta em relação ao Atlético-MG. No caso do Palmeiras, o que houve foi uma troca de conversas. Ele recebeu propostas vindas dos Emirados Árabes, e se essa proposta atendesse ao que o Santos pedia, não íamos atrapalhar a carreira do Marinho. O sonho dele é ir para lá”, comentou o presidente do Santos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.