Por causa de meme, discussão entre Joice e bolsonarista vai parar na Justiça

IMG 20210805 140852

parlamentar

Sentindo-se ofendido, um morador do Distrito Federal, de 47 anos, procurou a Polícia Civil (PCDF) para registrar uma ocorrência contra a deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP). O caso envolvendo calúnia, injúria e difamação se transformou em queixa-crime e tramita no 3º Juizado Especial Criminal de Brasília, no Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT).

Em depoimento à PCDF, Patrick Folena afirmou se sentir perseguido pela deputada desde 25 julho, quando Hasselmann ameaçou pedir sua prisão após ele compartilhar um meme no Twitter. Na imagem, havia duas fotos da parlamentar, uma delas maquiada e a outra apresentando hematomas e machucados. A arte tinha a seguinte legenda: “Com Bolsonaro e sem Bolsonaro”.

Em resposta, Hasselmann marcou Patrick garantindo que iria pedir sua prisão. A deputada o acusou de integrar uma milícia do “Gabinete do Ódio”, criado no “coração do Gabinete de Segurança Institucional (GSI)” da Presidência da República. Patrick, segundo a deputada, criaria notícias falsas. “Assim como bandidos travestidos de blogueiros e ativistas foram em cana, ele também irá”, disse a parlamentar em seu post.

Na queixa-crime, Patrick Folena afirma que não foi o criador do meme com a imagem da deputada e que apenas o replicou, como vários outros usuários do Twitter. Em seu perfil, Folena se apresenta como conservador, ativista político e coordenador do Movimento Avança Brasil. Ele também é membro da Diretoria Executiva do PTB/SP.

O Metrópoles procurou a parlamentar para fala sobre o processo de calúnia. Para a deputada Joice Hasselmann, Patrick Folena é um dos criminosos que usam a internet como terreno para sua bandidagem. “Ele será punido. Meu objetivo é vê-lo na cadeia, como já aconteceu com outros milicianos digitais. Não discuto com rato de rua. Vamos à Justiça”, disse à reportagem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.