Por causa de Matias Viña, Felipe Melo vai jogar a final da Libertadores, entenda

inbound8242693840383696700

Após algumas semanas trabalhando na defesa de Felipe Melo, o Palmeiras já conseguiu resolver todas as pendências do camisa 30 com a Justiça uruguaia e o volante poderá entrar no país vizinho sem qualquer tipo de problema.

Segundo apurou o LANCE!/NOSSO PALESTRA, o auxílio de Alejandro Balbi, advogado e vice-presidente do Nacional, durante o processo se deu por conta da boa relação entre as diretorias e, também, pela influência do nome de Matías Viña, que hoje defende a Roma-ITA.

A relação entre Palmeiras e Alejandro Balbi ganhou forma no início de 2020, quando o Verdão negociava a contratação do lateral-esquerdo uruguaio. Desde então, o advogado manteve contato com alguns da diretoria alviverde, especialmente com Alexandre Zanotta, 3º vice-presidente do clube, que foi quem motivou o vice-presidente do Nacional a ajudar o Palestra no processo.

A situação envolvendo Felipe Melo e a Justiça uruguaia aconteceu por conta da briga generalizada entre Palmeiras e Peñarol, em partida válida pela fase de grupos da Libertadores de 2017. Na ocasião, o camisa 30 do Verdão chegou a desferir um soco no atleta Matías Mier.

No mesmo ano, o sistema jurídico do país determinou que o volante deveria prestar alguns esclarecimentos sobre o ocorrido, assim como outros jogadores do Penãrol, o que não ocorreu. Com isso, a situação se arrastou até então, sendo que o Palmeiras não voltou a atuar em solo uruguaio após o episódio.

Com a liberação, Felipe Melo não terá problemas de entrar no país sul-americano e poderá estar em campo na final da Libertadores diante do Flamengo, marcada para o dia 27 de novembro, no Estádio Centenário, em Montevidéu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.