Polícia quer histórico de saúde de jovem morta após encontro com jogador do Corinthians, e não descarta fatalidade.

Atleta Dimas Cândido de Oliveira Filho disse à polícia que jovem desmaiou durante relação sᕮxual e que ele chamou o Samu. Livia Gabriele da Silva Matos teve quatro paradas cardiorrespiratórias e sangramento na vagina.
A Polícia Civil quer detalhes do histórico de saúde da jovem de 19 anos que morreu após se encontrar com Dimas Cândido de Oliveira Filho, jogador do sub-20 do Corinthians, na noite da terça-feira (30), no Tatuapé, Zona Leste de São Paulo. A investigação aguarda os laudos da perícia e não descarta que tenha ocorrido uma fatalidade.

Livia Gabriele da Silva Matos estava no apartamento de Dimas quando foi levada ao pronto-socorro do Tatuapé pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que foi acionado pelo jogador. Ela apresentava sangramento nas partes íntimas e sofreu quatro paradas cardiorrespiratórias, informou o tenente da Polícia Militar Lucas Sarri.

Na tarde desta quarta-feira (31), os investigadores foram ao apartamento do jogador e encontraram uma pequena quantidade de sangue no colchão e no chão, além de uma camisinha e dois cigarros eletrônicos.

A polícia pediu ao condomínio as imagens das câmeras de segurança. A gravação pode mostrar a chegada da jovem ao prédio.

Os exames necroscópico, toxicológico e sᕮxológico estão sendo feitos e os laudos devem apontar a causa da morte e se os dois consumiram substâncias.
Uma das tias da vítima diz ainda não saber o que aconteceu.

“Está na mão da Justiça. Eu acredito na justiça de Deus e na justiça dos homens. A gente vai ver agora. Eu vou na delegacia e depois a gente vai ver se [o corpo] está liberado”, disse à TV Globo Nádia Falconeres, tia de Lívia.

A jovem era estudante de enfermagem e “corintiana roxa”, segundo a tia.

O advogado de Dimas, Tiago Lenoir, afirma que o atleta está abalado.
“Dimas permanece à disposição das autoridades policiais para prestar todo e qualquer esclarecimento. Ele está bastante abalado, consternado com tudo isso e a gente aguarda quanto antes que o exame de necropsia dê a devida causa morte dessa fatalidade.”

Em nota, o Sport Club Corinthians Paulista informou que “está ciente dos acontecimentos que envolveram um de seus atletas da base, aguarda a investigação dos fatos e está à disposição para colaborar com as autoridades”.

Entenda o caso

“Fomos acionados no pelotão noturno para verificar uma chamada no PS Tatuapé, que se tratava de uma menina de 19 anos que teve quatro paradas respiratórias seguidas, sendo uma no local, uma na viatura do Samu e duas no PS Tatuapé, evoluindo a óbito”, afirmou o tenente Lucas Sarri.

“Ela tinha um forte sangramento na região íntima. E o que a gente levantou no local do PS é que momentos antes ela estava com namorado ou ficante dela no apartamento dele. Eles estavam lá, ficaram um certo tempo e as circunstâncias acerca desse fato ainda estão para serem esclarecidas”, ressaltou.

Primeiro encontro e desmaio durante a relação sᕮxual

O jogador disse, em depoimento à polícia, que conversava havia alguns meses com a jovem pelas redes sociais, que os dois nunca tinham se visto pessoalmente e que esse tinha sido o primeiro encontro.
O atleta ainda afirmou que, durante a relação sᕮxual, a jovem desmaiou e, a partir daí, ele ligou para o Samu e prestou o socorro.

Polícia investiga morte de jovem de 19 anos após encontro com jogador em SP — Foto: Reprodução/TV Globo
O jogador também disse que eles não fizeram uso de bebida alcoólica e entorpecente, que estavam apenas os dois no apartamento. O atleta também contou que Lívia havia levado dois cigarros eletrônicos, onde era usado um óleo.

No depoimento, o atleta disse ainda que os dois tiveram relação sᕮxual e conversaram em seguida. Quando foram para a segunda relação sᕮxual, ele diz que percebeu que Livia não respondia, momento então em que observou que ela tinha desmaiado e ligou imediatamente para o Samu.

O caso foi registrado como morte suspeita no 30º Distrito Policial.