Polícia Civil inicia operação contra membros do PCC

36

A Polícia Civil do estado de São Paulo, em parceria com o Ministério Público, deflagrou nesta quarta-feira (26) a “Operação Ninjas”, que visa a desarticular um dos braços da facção Primeiro Comando da Capital (PCC).

Com o objetivo de desarticular o tráfico de armas e de drogas exercido pela facção, agentes da Polícia Civil cumpriram 24 mandados judiciais (15 de prisão e 9 de busca e apreensão) na capital paulista e em Osasco, na Grande São Paulo.

Atualmente, o PCC é uma facção criminosa que atua dentro e fora dos presídios. Conforme a Justiça, as ordens para os criminosos envolvidos na operação partiram de dentro de um Centro de Progressão Penitenciária, de Tremembé, no interior do estado.

Ao comentar a situação no Brasil, onde criminosos dão ordem e planejam ações de dentro dos presídios, o deputado estadual Márcio Gualberto apontou que, para melhorar a situação, deve-se mudar a forma de olhar para os presídios.

“A gente não pode encarar prisão como colônia de férias. Preso não deve ter direito à visita íntima, preso não pode ter direito à progressão de regime. Ali é um momento de expiação, um momento em que ele vai refletir sobre aquilo que ele fez, está sendo punido porque extrapolou todas as convenções sociais, mas hoje não acontece isso. O preso, como já falei, é visto como um coitadinho”, apontou o deputado estadual, durante o Boletim da Manhã desta quarta-feira (26).

Algo errado com esse post?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.