Paulista que teve Cøvid desenvolve câncer e descobre que só tem um rim

Sem titulo 446

Como se não bastasse ter pegado covid-19 e ser diagnosticado com câncer em meados deste ano, um morador de Sorocaba (SP) descobriu que possui apenas um rim.

Segundo o portal de notícias G1, o mecânico Rogério Gonçalves da Silva precisou realizar hemodiálise durante o tratamento contra o tumor e acabou descobrindo que só tinha um rim. Mas, antes que alguém ache que ele teve o órgão “roubado”, na verdade, trata-se de uma condição congênita chamada agenesia renal unilateral.

Esse defeito de nascença, conforme a enciclopédia médica virtual Medipédia, é até comum, com incidência aproximada de um caso em cada mil nascimentos.

Durante a gestação, a ausência de um rim pode gerar insuficiência renal e outros problemas sérios, pois a ausência de urina reduz o volume do líquido amniótico, que mantém o feto no interior da mãe.

Porém, em adultos, a agenesia renal unilateral é considerada benigna e, às vezes, nem é percebida pela vítima.

 “É uma condição que não traz riscos à vida. Quando isso acontece, o rim funcionante acaba aumentando de tamanho para compensar a ausência do outro rim. Chamamos o rim aumentado de tamanho de ‘rim vicariante’”, explica o nefrologista Vinícius Paulon da Costa, em entrevista ao G1.

Conforme o portal da Globo, em meados de julho, Rogério Silva apresentou sintomas de um possível câncer e a família o levou ao médico. Como estava com problemas renais desde a época em que sofreu com a forma grave da covid-19, exames de imagens revelaram que ele só tinha um rim.

Desde então, o sorocabano vem realizando hemodiálise e quimioterapia.

“Está acordado, se alimentando e confiante no tratamento. Serão cinco sessões. Está bem positivo durante o tratamento com grandes chances de cura. Vai sair dessa de novo”, diz Andressa Aparecida França, irmã do mecânico, também em entrevista ao G1.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.