Pastor acusado de estuprar garota de 16 anos em motel diz que a levou para orar no monte

Screenshot 20211215 160644

GPS de celular revelou que pastor ficou no interior de motel nesse trecho da BR-381 por cerca de duas horas

A polícia de Ipatinga investiga uma intrincada acusação de estupro feita por uma jovem de 16 anos, contra um homem de 37 anos. O caso foi descoberto nessa quarta-feira, mas teria ocorrido na noite de terça-feira, no bairro Veneza, em Ipatinga MG. A ocorrência envolve uma menor de idade que é interna de um abrigo para meninas. Na manhã de terça-feira a jovem decidiu fugir do abrigo. Depois de andar pela cidade, durante todo o dia, abatida pelo cansaço e fome, a menina foi para a rua Teresina onde bateu à porta da casa de uma colega da escola de música onde ela estuda.

No momento em que chegou à casa da família foi recebida pela colega e explicou aos pais da estudante que precisava de um lugar para dormir, pois não queria voltar ao abrigo. Os pais decidiram então acolher a colega da filha.Ocorre que, nesse momento, encontrava-se na casa R.A.S., de 37 anos, identificado por todos os presentes como um pastor, que se ofereceu para pagar um lanche à jovem e foi logo saindo a residência da família levando a adolescente com ele.

Alega a jovem que ao sair da casa dos pais da colega, perambulou pelas ruas do bairro Veneza e foram à avenida Macapá, onde o pastor chamou um carro e pediu uma corrida a um conhecido informando que “ia para aquele lugar”. Ao chegar na porta de um motel desceram do carro e a jovem alega ter informado ao homem que não queria entrar. Relata a adolescente que foi puxada pelo braço e obrigada a ir para o estabelecimento.

No interior de uma das suítes o homem passou a fazer ameaças e exigiu que mantivesse relações sexuais com ele. A jovem relata que tentou livra-se do ataque e, durante todo o fato o telefone celular do homem chamava insistentemente, sem que atendesse às chamadas. A polícia descobriu, mais tarde, que eram os familiares à procura do pastor, preocupados com a demora dos dois.

Sob ameaças das consequências, caso ela revelasse o que houve, os dois saíram do motel. De volta à casa da amiga, depararam com o pai da adolescente, que informado da fuga dela do abrigo a procurava por toda a cidade. O pastor informou, então, que tinha levado a menina para orar no Monte da Resposta, localizado no bairro Veneza. O pai da jovem não gostou e chegou a discutir com o homem.

A jovem afirma que, por temer as ameaças do pastor, não revelou nada na casa da colega de escola, nem para o pai e tampouco no abrigo. Contou o ocorrido somente no dia seguinte, para uma funcionária do estabelecimento de ensino. O Conselho Tutelar dos Direitos da Criança e do Adolescente foi acionado, conduziu a jovem para o hospital, onde recebeu medicamentos para vítimas de estupro e foi submetida a exames. Com isso, a Polícia Militar também teve que ser acionada.

Preso

Com o registro policial do caso, R.A.S., de 37 anos, foi localizado na casa da mãe dele, também no bairro Veneza. O homem insistiu na versão que tinha levado a jovem para orar no Monte da Resposta para dar aconselhamentos, pois a adolescente estava desamparada. Com a permissão de R.A., policiais verificaram pelo GPS do celular dele o trajeto que os dois percorreram. A rota mostra que a vítima e o acusado ficou em um motel entre 19h37 e 21h25, à margem da BR-381.

O pastor então admitiu que esteve no motel com a adolescente, apenas conversando e orientando a vítima e que em momento nenhum tocou nela. O homem também confirmou que pediu à vítima que passasse a relacionasse com ele, em troca, ele cuidaria dela. Por outro lado, negou que tenha feito ameaças e tentado forçar uma relação sᕮxual.

Submetida a exames médicos ficou constatado que, de fato, a jovem não apresentava qualquer tipo de lesão, em nenhuma parte do corpo. Depois de medicada, ela foi reconduzida pelo Conselho Tutelar, de volta ao abrigo de onde tinha saído no dia 19.O homem foi preso e entregue à Polícia Civil, com um telefone celular e roupas usadas no dia do fato. Um inquérito foi aberto para a apurar o caso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.