Para curar feridas em diabéticos, a pomada brasileira feita com essa erva milagrosa

erva baleeira capa

Um grupo de pesquisadoras brasileiras descobriu uma pomada natural que ajuda na cicatrização de feridas em diabéticos.

As professoras Thais Casagrande e Leila Maranho, junto com a estudante de mestrado Jéssica Martim, da Universidade Positivo, no Paraná, desenvolveram uma pomada cicatrizante com a Cordia verbenacea, uma planta conhecida como erva-baleeira ou maria-milagrosa.

Tudo começou porque o avô de Jéssica, que é diabético, fazia um chá com as folhas da planta para ajudar na cicatrização de feridas. As pesquisadoras, então, criaram uma pomada feita do óleo da erva-baleeira para curar os ferimentos de diabéticos, que, se não forem devidamente tratados, podem provocar amputações de membros do corpo.

A planta encontrada na restinga do litoral brasileiro foi transformada em pomada, a qual passou por um teste com ratos de laboratório que tiveram diabetes induzido. Durante 18 meses as cobaias ficaram sob observação e os resultados surpreenderam as pesquisadoras, pois a pomada apresentou melhora nas lesões em apenas oito dias de tratamento. Segundo Leila:

“A cicatrização fica linda. Sem quaisquer problemas”.

A pomada não provoca dor, ardência ou formigamento e nem tem cheiro forte. Ela pode ser aplicada sobre qualquer ferimento, e não apenas nos de quem tem diabetes.

A erva-baleeira é um tesouro da natureza tanto que para a sua extração é necessária uma autorização dos órgãos ambientais competentes. Trata-se de uma vegetação protegida, e cuja colheita precisa ser feita no período correto para a preservação de seus princípios ativos.

Por isso, é importante que essa espécie seja cultivada para ser preservada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.