Palmeiras topa vender destaque da equipe, mas ainda aguarda propostas oficiais

O Palmeiras admite vender um de seus destaques da temporada passada, mas ainda não tem nenhum documento oficial com uma proposta. Nos últimos dias, o noticiário do mercado da bola colocou nomes como Gabriel Menino, Gabriel Veron, Rony e Matias Viña na mira de times europeus, mas a diretoria ainda trata tudo como sondagem.

LEIA TAMBÉM: Federação planeja nova reunião com MP em busca de autorização para volta do Paulistão

A política do Alviverde ainda é a de que “nenhum atleta é inegociável”, mas a situação financeira permite que o time negocie com mais força para defender seus interesses. Apesar do déficit no ano passado por conta da pandemia, o time conseguiu uma excelente arrecadação com prêmios dos títulos e manteve o patrocínio mais valioso do país.

Com isso, os salários estão em dia, houve a devolução dos 25% de salários que não foram pagos no início da pandemia e até mesmo o pagamento de um 14º salário para funcionários.

Além disso, a direção comandada por Maurício Galiotte apertou os cintos na hora de ir ao mercado, retirou a proposta por Borré, não cedeu aos pedidos do América-MG por Ademir e só acertou com Danilo Barbosa porque a negociação foi por empréstimo.

Por conseguir manter essa segurança financeira, a diretoria tem afirmado para os empresários dos atletas que não topará vender na primeira oferta. Recentemente, o Palmeiras se protegeu do assédio em Patrick de Paula, Gabriel Veron, Gabriel Menino e Danilo com renovações que deixaram a multa de cada um deles acima dos 50 milhões de euros.

Na previsão orçamentária para 2021, o time colocou R$ 80 milhões em vendas como meta. Até aqui, com as negociações de Hyoran, Vitinho e Emerson Santos, a arrecadação já chega perto da casa dos R$ 30 milhões. Com a eventual venda de um desses destaques, é provável que o objetivo fosse superado. Ainda há a provável confirmação de compra pelo Al Duhail de Dudu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.