Palmeiras se pronuncia após Atlético MG querer anulação da partida, confira

inbound6925143221497809009

O Palmeiras não vê a menor chance de sucesso na ação do Atlético-MG na Conmebol de pedir a anulação do gol alviverde ou repetição do jogo. A tese alviverde é de que não houve erro de direito porque a invasão de Deyverson foi vista pelo árbitro Wilmar Roldán, revisada e não se constatou erro ao validar o tento. A ação já foi recebida pela Comissão Disciplinar da Conmebol. Durante a semifinal entre Galo x Palmeiras, Dudu fez um gol após passe de Gabriel Verón. No meio do lance, Deyverson, que estava no banco, invadiu o campo, o que é proibido.

O Atlético-MG entrou com a ação em 29 de setembro na Unidade Disciplinar da Conmebol. A entidade informou que o tribunal já analisa o caso. Pelo documento do Galo, publicado pelo jornalista Venê Casagrande, alega que houve um erro de direito porque o jogo deveria ter sido paralisado com bola ao chão quando houve a invasão de Deyverson. Alega que, pelo artigo 7o do código disiciplinar, o gol deveria ser anulado ou o jogo repetido.

No Palmeiras, o caso é visto como banal porque não houve nenhuma interferência no lance. Isso porque o lance foi visto com Roldán, que deu amarelo a Deyverson, foi revisado pelo VAR e não houve nenhum erro de protocolo. Ou seja, não houve erro de direito (aplicação errada da regra).

Se tivesse havido algum erro, o que o clube entende que não ocorreu, seria um erro factual, que não permite anulação de partida. A postura do Palmeiras é esperar para ver se será necessário fazer uma defesa. Nem acionou o jurídico ainda. É possível que a Unidade Disciplinar rejeite as alegações do Galo antes mesmo de ouvir o time palmeirense.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.