Palmeiras não bate a meta de vendas, fica sem dinheiro para contratar e Galiotte explica, veja

inbound8413260305885445363
Maurício Galiotte, presidente do Palmeiras

THIAGO GOMES

domingo, setembro 12, 2021

 

Facebook

 Twitter

O Palmeiras é um clube organizado financeiramente. Maurício Galiotte, presidente do clube, tem poucos meses de mandato pela frente e espera entregar a cadeira principal o mais saudável possível.

Até o momento, apenas Matías Viña foi vendido. O lateral-esquerdo foi negociado com a Roma e rendeu R$ 39 milhões aos caixas palestrinos. O zagueiro Emerson Santos, vendido ao Kashiwa Reysol, rendeu R$ 9 milhões. Vitinho, negociado com o Red Bull Bragantino, levantou R$ 10 milhões. A meta total estipulada era de R$ 80 milhões para a janela atual.

Wesley recebeu proposta da Inglaterra, mas o Palmeiras entendeu que o valor foi abaixo do esperado. O Grupo City ofereceu R$ 45 milhões. Após conversas internas, a diretoria negou e projetou vendê-lo por mais dinheiro.

Em relação aos reforços, o clube investiu em Joaquin Piquerez. Jorge e Matheus Fernandes vieram sem custos. Dudu e Deyverson retornaram e também não desfalcaram o caixa no negócio, mas aumentaram a folha salarial mensal.

+ Mudança no Palmeiras! Abel Ferreira pode surpreender no jogo diante do Flamengo pelo Brasileirão

Novo centroavante em casa!

Por isso, a aposta durante os próximos jogos será em Luiz Adriano. Anderson Barros buscou um novo centroavante, mas viu sérios obstáculos no mercado. Até Marinho, do Santos, foi sondado, mas o clube litorâneo vetou qualquer diálogo no momento.

Sem a meta batida, a ordem é amarrar o saco de dinheiro e não permitir saídas. Apenas as chamadas oportunidades serão consideradas (jogador que chega sem custos).

O período de inscrições de novos atletas se encerra no dia 24 de setembro. E não devemos ter novidades até lá.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.