Palmeiras já admite vender cria da Academia para equalizar cofre

2021 ainda será um ano de incerteza. Só ontem, quase 4.000 pessoas perderam a vida no Brasil por conta do novo coronavírus. A doença não tem dado trégua e o crescimento vertiginoso pode alcançar patamares ainda maiores.

O futebol segue a linha da preocupação. Muitos clubes estão segurando seus recursos e colocando alguns dos seus atletas à venda. Sem torcida nos estádios e sem previsão de retorno, as receitas de bilheteria foram simplesmente por água abaixo.

PUBLICIDADE

Sem perspectivas de futuro, o Palmeiras tem previsão orçamentária importante para o ano. Pelo menos lucrar R$ 80 milhões com vendas de ativos, garotos da base ou qualquer outro atleta. Um dos garotos deve ser negociado assim que a janela de transferências para a Europa abrir.

O meio-campista Gabriel Menino, titular na maior parte da temporada, é quem vem recebendo maiores sondagens do futebol do exterior. Chelsea, Tottenham e Atlético de Madrid já buscaram algumas informações e detalhes sobre o palmeirense. Seus empresários foram acionados para algumas consultas.

Os jogadores Renan, Newton, Raphael Veiga, Luan e Marcos Rocha (E/D em pé) e Lucas Esteves, Giovani, Patrick de Paula, Danilo, Matías Viña e Willian (E/D agachados), da SE Palmeiras, durante treinamento, na Academia de Futebol. (Foto: Cesar Greco)

Patrick de Paula, Danilo, Gabriel Veron, Wesley também são consultados com frequência por grandes clubes de fora do país. Na visão do Palmeiras, fazer dinheiro com pelo menos um atleta criado na base será o objetivo até o final de 2021. Como a temporada abre no meio do ano, os clubes devem chegar com propostas mais agressivas para bater o martelo.

O único reforço até o momento foi Danilo Barbosa. Ademir, do América-MG, está negociando e o acordo deve ser fechado na próxima semana, com Abel Ferreira no Brasil. O retorno do treinador será na quinta-feira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.