Pais perdem batalha judicial e suporte de vida de menina de 2 anos é desligado

0 alta fixsler court case

A britânica Alta Fixsler, 2 anos, com danos cerebrais, teve seu suporte de vida desligado na última segunda-feira . Seus pais, Chaya e Abraham Fixsler, não tiveram a chance de levá-la a Israel para tratamento

Uma menina de apenas 2 anos, que nasceu com graves danos cerebrais, teve seu suporte de vida desligado na última segunda-feora . Seus pais, que enfrentaram uma batalha judicial para impedir que ela partisse, não tiveram a chance de levá-la a Israel para tratamento, informou o site Mirror. Alta Fixsler faleceu em um hospital de Manchester, onde recebia cuidados paliativos. A pequena conseguia respirar ou comer sem ajuda médica. O suporte de vida foi desligado após a Suprema Corte decidir, no início deste ano, que era do “melhor interesse” da criança, por ela não ter chance de recuperação.

Seus pais, Chaya e Abraham Fixsler, que pertencem à comunidade judaica ultraortodoxa da cidade do norte, foram informados pela equipe jurídica da Fundação NHS da Manchester University de que levá-la para o exterior só causaria desconforto. O tribunal concordou e bloqueou a ação, com o juiz Alistair MacDonald dizendo que transferí-la para Israel a “exporia” a “mais dor” e não teria “nenhum benefício médico”. 

“Notícias tristes, o suporte de vida da pequena Alta Fixsler foi desligado esta tarde e ela morreu no hospício com os pais ao seu lado”, disse um porta-voz da família. Os pais, devastados, beijaram a filha quando sua máquina de apoio foi desligada. Um grupo de homens também cercou sua cama e fez orações, informou o meio de comunicação ultraortodoxo Hamodia.

Em junho, o então presidente de Israel, Reuven Rivlin, fez um apelo ao príncipe Charles para intervir no caso. “É o desejo fervoroso de seus pais, que são judeus devotos e cidadãos israelenses, que sua filha seja levada a Israel”, escreveu ele. “Suas crenças religiosas se opõem diretamente à cessação do tratamento médico que poderia estender a vida dela e fizeram arranjos para sua transferência segura e tratamento contínuo em Israel”, completou. 

A questão também foi levada para Boris Johnson durante uma reunião, em setembro, com o líder da maioria no Senado dos EUA, Chuck Schumer, que condenou a decisão. “Continuo a acreditar que a política seguida aqui estava errada em muitos níveis e lamento que nossos múltiplos apelos legal e moralmente bem fundamentados não tenham sido atendidos pelas autoridades britânicas”, disse ele. A menina será levada para Israel para ser enterrada após um funeral em Manchester.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.