Pai de PM executado em SP teve outro filho policial morto por bandidos.

O soldado da PMSP Samuel Wesley Cosmo morreu após ser atingido por um tiro no rosto durante patrulhamento em Santos, São Paulo

O policial militar de São Paulo Samuel Wesley Cosmo, soldado lotado nas Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota), assassinado na sexta-feira (2/2), é o segundo filho de um agente da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) a ser executado por criminosos durante o exercício da profissão. Samuel foi assassinado com um tiro no rosto no decorrer de um patrulhamento em Santos, no litoral paulista.

Em abril de 2018, Kennedy Cosmo, também policial militar de São Paulo e irmão de Samuel, foi baleado por criminosos quando saía do estacionamento de um batalhão da Polícia Militar em Santo André, no ABC Paulista.

O Metrópoles apurou que dois tios e uma tia de Samuel e de Kennedy também fazem parte da PM de São Paulo.

O crime
De acordo com a PMSP, Samuel foi baleado por volta das 17h desta sexta (2/2). Segundo a corporação, não havia tiroteio ou incursões no momento em que o soldado da Rota acabou atingido.

Após o crime, o militar foi internado em estado grave na Santa Casa de Santos. A corporação e o governador Tarcísio de Freitas (Republicanos) confirmaram, na manhã deste sábado (3/2), a morte do policial.

A região em que aconteceu o ataque fica em bairro pobre da Baixada Santista, nas proximidades de um mangue e no limite com as cidades de São Vicente e Cubatão.

Com o ataque ao integrante da Rota, foi desencadeada nova Operação Escudo na região. Segundo a polícia, o efetivo de diversos batalhões, incluindo o Choque, se deslocou no início da noite de sexta-feira em direção à Baixada Santista.

Nas redes sociais, o governador de São Paulo e o secretária da Segurança Pública do estado, Guilherme Derrite, lamentaram a morte.