Padre que disse que não concorda com batismo de criança é penalizado

Padre Leudinho Reproducao

O padre Leudinho que declarou em uma live que não concorda com o batismo de crianças, foi notificado judicialmente para não pregar mais de clésima (uma roupa sacerdotal bem parecida com o colarinho romano usado por padres).

O sacerdote começou a sofrer perseguição desde que passou a discordar de algumas doutrinas da Igreja Católica, como: missa de corpo presente, missa de sétimo dia, batismo de criança, entre outras regras da denominação.

No final do ano passado, ele pediu a sua carta de desligamento da Igreja Católica, mas continuou pregando e postando seus vídeos no Kwai.

Após a repercussão dos seus vídeos, o padre foi proibido pela justiça de usar o clésima. Ele apresentou sua documentação ao juiz provando ser padre ordenado.

Em um vídeo publicado na rede social, ele disse que está sofrendo perseguição, mas que continuará pregando o que está na Bíblia.

“Por uma ordem judicial, eu não vou mais pregar usando o clésima, tá certo? Então, meus amados, a situação é essa, tá certo? Já começaram as perseguições… e seja o que Deus quiser. Se eu for preso, eu tenho certeza que Deus me solta”, disse ele.

O padre Leudinho também alterou o nome do seu perfil no Kwai, que agora passa a ser “Irmão Leudinho”. Em apoio ao religioso, vário internautas estão lhe deixando mensagens de apoio e compartilhando seus vídeos.

“Quem fala a verdade sempre será Perseguido, parabéns pela coragem Padre”, escreveu um seguidor.

“Que Deus te abençoe padre, continue nessa coragem e força, Deus é contigo”, escreveu outro.

O ex-sacerdote católico também não escolheu o celibato orientado pela igreja aos padres. Ele é casado e pai de um filho.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.