ONU declara que cristãos na China estão “sob risco de tortura”

comite da onu decide que cristcaos sao torturados na china

O Comitê contra a Tortura (CAT), órgão da ONU que monitora a implementação da Convenção contra a Tortura e Outros Tratamentos ou Penas Cruéis, Desumanos ou Degradantes por seus Estados Partes, publicou no dia 31 de agosto de 2021 um documento que afirma que cristãos na China correm risco de perseguição.

No dia 27 de julho a ONU teve que tomar uma decisão difícil sobre um caso de uma mulher refugiada da Igreja do Deus Todo-Poderoso (CAG, sigla em inglês), com uma longa história judicial.

A China levou um golpe significativo da CAT agora, pois o órgão determinou que os cristãos em geral, não apenas os membros de novos movimentos religiosos proibidos como xie jiao, como o CAG, estão sujeitos a sofrerem de “crescente perseguição”.

Risco de tortura

Na decisão, a ONU decidiu que deportar a requerente de asilo na Suíça para a China “a colocaria em risco de ser torturada por outros tratamentos ou penas cruéis, desumanos ou degradantes”.

A refugiada chinesa teve que recorrer ao CAT em 1º de dezembro de 2016, depois de ter seu recurso negado pelo Tribunal Administrativo Federal Suíço.

A mulher apresentou evidências ao órgão da ONU que provaram suas críticas ao regime chinês, mais duas declarações juramentadas dos abaixo-assinados confirmando que grupos rotulados como xie jiao são presos de acordo com o Código Penal Chinês e são frequentemente torturados, de acordo com o Bitter Winter.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.