"Não é demissão, é um remanejamento", diz Guedes sobre saída de Waldery da Fazenda

waldery rodrigues e paulo guedes

Paulo Guedes chamou a imprensa para cobrir Waldery Rodrigues de elogios e dizer que a saída dele da Secretaria da Fazenda não decorre de “problema pessoal”, nem de “pressão política”, mas de “desgaste” nas negociações com o Congresso e com o próprio Executivo.

Queria só deixar registrado que isso não é demissão. Foram tantos combates juntos que nós estamos ligados. O que está acontecendo é um remanejamento da equipe. Para facilitar negociações com o Congresso, com o próprio Executivo, outros ministérios, disse o ministro da Economia ao lado de Waldery, que, agora, será seu assessor especial.

Como mostramos mais cedo, pesou na saída a crise com a aprovação do Orçamento. Waldery defendia o veto integral das alterações feitas pelos parlamentares, o que desagradou a ala política do governo.

Guedes disse que a saída da Fazenda já era tratada há dois ou três meses.

A função dele é muito difícil, é quem cuida da responsabilidade fiscal, é um desgaste grande. O ‘não’ é dito com muita frequência. Ele que tem a responsabilidade de trancar a boca do cofre com o secretário do Tesouro“, afirmou Guedes.

O atual secretário do Tesouro, Bruno Funchal, será deslocado para o lugar de Waldery. O assessor especial de Guedes Jefferson Bittencourt deve assumir o Tesouro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.