Namorado pede para apanhar na cama, mulher se assusta e caso vai parar na delegacia

fe007d8bd08e8d75574da9f9fd3822f7c84cae092

Namorado pede para apanhar, mulher se assusta e registra B.O.

Será que esse casal está por fora do famoso BDSM?

Por Thailla Torres | 10/09/2021 15:15

Foto que o homem que afirma estar apaixonado enviou ao Lado B. (Foto: Arquivo Pessoal)

Tem coisa que só acontece em Mato Grosso do Sul. Dentre os boletins de ocorrência registrados na última quinta-feira (9), um deles se destaca. Segundo o registro policial, um homem de Aquidauana – a 135 quilômetros de Campo Grande – pediu à mulher que conheceu pela internet, para que ela batesse nele. No entanto, ela ficou assustada e decidiu registrar a ocorrência na polícia. Ele não se conforma e implora: “quero ela de volta.”

Segundo o boletim registrado na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher, de Campo Grande, ela conheceu o homem, da mesma idade, aproximadamente há três meses pelo Facebook e começou um relacionamento amoroso.

No último dia 04 de setembro, ela o visitou em Aquidauana e, em certo momento, ele a jogou na cama, deitando sobre ela e pediu para que ela batesse nele. Ela ficou bastante assustada e apenas após muita insistência e esforço físico, foi que ele a deixou em paz e saiu do quarto, informa ocorrência.

Ainda no boletim, a mulher disse que o arranhou e que, em nenhum momento, ele parecia ter a intenção de agredi-la. Porém, acredita que a intenção do namorado seria prazer através da dor. Acrescentou ainda que “por ser gordo, seu peso a deixou desconfortável”.

Na última segunda-feira, a filha do namorado entrou em contato com ela, dizendo que seu pai estava com arranhões no rosto e que iria à delegacia registrar ocorrência contra ela, por isso, temendo eventual registro, resolveu antecipar e registrar B.O. contra ele.

O Lado B tentou contato com a mulher que registrou a ocorrência, mas a ligação não completou.

Já o namorado, de 56 anos, atendeu a ligação e jura que em nenhum momento pediu para que ela o agredisse. “Eu não sei o que ela está pensando, ela me deixou marca, ela me bloqueou, ela não atende, ela até ficou de vir aqui hoje. Eu devia ter feito boletim, mas eu gosto dela”, afirmou o homem, identificado como Cícero.

O homem ainda enviou fotos de marcas de arranhões e hematomas pelo corpo, afirmando que ela foi a responsável, mas diz que não sabe o porquê. “Eu não sei o que houve, ela fala que gosta, ela fala umas coisas, estávamos há quase quatro meses”, afirmou.

Ele também confirmou que os dois se conheceram pela internet e, nos últimos meses, trocaram muitas “mensagens de amor”, no entanto, ele nega que pediu  tapas ou que é adepto ao BDSM, fetiche cuja sigla significa bondage (artigos para contenção), dominação (quem manda), sadismo (quem se excita com a angústia sᕮxual do outro) e masoquismo (quem se excita em sentir dor que, inclusive, nos últimos anos, ganhou fama e, em 2021, se tornou um dos fetiches mais queridinhos dos campo-grandenses, segundo pesquisa.

Por telefone, o homem reforçou diversas vezes que gosta da parceira e que está solteiro há um ano, depois de ficar viúvo e perder a esposa, com quem foi casado há 16 anos, para o câncer.

“No dia que ela veio, estava brava, mas eu gosto dela, única coisa que eu quero, é falar com ela, se a senhora puder falar com ela. Não quero terminar”, pediu à reportagem.

Sobre a intenção de fazer o boletim de ocorrência, o homem informou que foi uma “brincadeira”. “Não era minha intenção, mas agora ela não me atende, me bloqueou em tudo”, finalizou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.