Mulher é detida por manter restos mortais de bebê em freezer por quase 30 anos

Sem titulo 467

Moradora de Tennessee, nos Estados Unidos, Melissa Sims McCann, de 62 anos, foi detida e acusada de abuso de um cadáver por manter os restos mortais de seu bebê recém-nascido, por 27 anos, em um freezer.

Segundo informações do Daily Mail, Melissa foi presa após o Grande Júri do Condado de Coffee a indiciar por duas acusações de abuso de um cadáver. Em comunicado à imprensa, o promotor do caso, Craig Northcott, afirmou que a mulher poderia enfrentar acusações adicionais à medida que a investigação prossegue.

Conforme a declaração de Craig, o caso começou a se desenrolar em novembro, quando o Departamento de Polícia de Tullahoma recebeu uma ligação da Watts-N-Storage, empresa que aluga containers para armazenar pertences. A marca informou que havia descoberto restos mortais não identificados dentro de uma das unidades que havia sido recentemente leiloado.

“Após a inspeção dos restos mortais, não ficou claro que se tratavam de ossos humanos. Ao enviar os restos mortais para o escritório do médico legista, eles determinaram que os restos mortais eram de um recém-nascido”, informou Craig.

Northcott também contou que a investigação policial descobriu que a unidade de armazenamento do freezer tinha sido alugada por Melissa desde março de 1994 “com o único propósito de armazenar os restos mortais de seu bebê recém-nascido”.

De acordo com Craig, Melissa deu à luz a criança em casa poucos dias antes de alugar o depósito. Contudo, nenhuma informação adicional foi divulgada em relação a este caso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.