Mulher aparece em seu próprio funeral e surpreende marido que tinha mandado matá-la

mulher funeral marido 1

Uma mulher nascida no Burundi e que vive na Austrália revelou recentemente uma história digna de roteiro cinematográfico à emissora britânica BBC. Noela Rukundo, mãe de oito filhos, teve sua morte encomendada pelo próprio marido, Balenga Kalala, enquanto visitava seu país natal. Em Burundi, a gangue que a sequestrou para matá-la mudou de ideia, e Noela decidiu surpreender o marido durante seu próprio velório e denunciar a tentativa de assassinato.

A história aconteceu em fevereiro, quando Noela retornou para o Burundi, para o enterro de sua madrasta, após anos morando em Melbourne, na Austrália. Após a cerimônia, a mulher estava em seu quarto de hotel na cidade de Bujumbura quando recebeu uma ligação do marido – pai de seus três filhos mais novos. Durante a conversa, ele sugeriu que ela saísse para tomar um ar.

Fora do hotel, Noela foi sequestrada por um grupo de homens armados. No cativeiro, amarrada a uma cadeira, Noela começou a ser interrogada: “O que você fez para merecer isso, senhora? Por que esse homem nos pediu para te matar?”. Confusa, a mulher respondeu que não entendia o que estava acontecendo e perguntou a que homem eles se referiam.

“O seu marido”, eles responderam. Os assassinos então ligaram para o responsável por encomendar o crime e colocaram o celular no viva voz, para que Noela escutasse a conversa. Ao fim da ligação, a mulher escutou seu marido dizer “mate-a”.

“Eu ouvi a voz dele. Eu ouvi. Senti que minha cabeça ia explodir”, contou Noela à BBC. “Eu disse a mim mesma que já estava morta. Nada que eu fizesse poderia me salvar.”

Mas o líder da gangue decidiu poupá-la. “Nós não vamos te matar. Não matamos mulheres e crianças”. Depois de dois dias no cativeiro, Noela foi libertada. Antes de soltarem a mulher na beira de uma estrada, entregaram a ela um cartão de memória contendo todas as conversas telefônicas que poderiam incriminar seu marido.

Três dias depois, Noela desembarcou em Melbourne. Balenga Kalala avisou a todos de sua comunidade que sua mulher havia morrido em um acidente trágico e recebia parentes e amigos em sua casa para prestar condolências. Assim que os convidados deixaram o local, Noela decidiu surpreender seu marido. “Surpresa!”, ela gritou. “Eu ainda estou viva!”. A mulher então ligou para a polícia e Balenga confessou todo o crime. Segundo ele, sua única motivação foi pensar que Noela o trocaria por outro homem.

 Balenga Kalala foi sentenciado a nove anos de prisão. Noela, que ainda vive em Melbourne com seus oitos filhos, enfrenta dificuldades para ser aceita pela comunidade africana da cidade, onde muitos a criticam pela condenação de seu ex-marido. “Mas eu ainda sou uma mulher forte”, afirmou à BBC..

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.