Menino de 6 anos pede para ser adotado nas redes: “Limpo meu quarto, lavo a louça e tiro a poeira”

Sem titulo 126

Muitas crianças estão, neste instante, aguardando o exato momento em que vão conseguir ser adotadas por uma família carinhosa, disposta a lhe oferecer proteção e muito cuidado. A possibilidade de ter uma estrutura familiar na infância é o que garante estabilidade quando os indivíduos chegam à idade adulta, por isso é tão importante que as crianças e adolescentes em lares adotivos recebam uma atenção especial.

De acordo com dados do Sistema Nacional de Adoção e Acolhimento (SNA) do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), são quase 30 mil crianças e adolescentes acolhidos, e pouco mais de 4 mil disponíveis para adoção, apenas no Brasil.

A procura maior dos pais é de crianças de até 4 anos, sem irmãos, sem doenças, sem deficiência, brancas ou pardas em sua maioria. Mas esta não é a realidade do sistema, que abriga majoritariamente adolescentes e crianças com mais de 9 anos, dos quais 25% são declarados pardos.

Na última semana, em Houston, nos Estados Unidos, o pequeno Aidan, de 6 anos, tornou-se destaque quando apareceu na Fox pedindo para ser adotado. O apelo é comovente e, em alguns momentos, passa a sensação de que ele precisa provar que é organizado, que consegue realizar funções em uma casa e que merece ter uma família.

Muito sorridente, Aidan tem facilidade de conversar com pessoas de todas as idades, e chega a arrancar gargalhadas com suas observações típicas da infância. A jornalista Sally MacDonald explica que eles se conheceram no Jumping World, e ele a ensinou como fazer um flip, uma manobra de skate. O pequeno respondeu que é simples e que talvez ela esteja apenas muito velha para realizá-la.

Os pais de Aidan perderam todos os direitos de visitar o filho e cuidar dele quando foram acusados de negligência, no ano passado, pois foi confirmado seu comportamento abusivo e danoso. O menino tem irmãos, mas eles foram adotados, apenas ele ficou no abrigo, já que os pais adotivos revelaram que não poderiam levar todas as crianças.

Em um orfanato, separado dos irmãos e dos demais familiares e de tudo o que ele sempre conheceu como seu, Aidan agora aguarda uma família que possa recebê-lo de braços abertos, oferecendo estrutura, rotina, planejamento e organização.

Caitlin Brake, do centro onde o pequeno está morando, pede que os adultos também “sejam realistas quanto às expectativas que criam em relação a ele”. Explicando de maneira contundente, Aidan diz que vai muito bem na escola, adora super-heróis, caminhões e “se sentir útil”.

Além disso, ele limpa o próprio quarto, lava louça e tem o hábito de também limpar a poeira, mesmo tendo apenas 6 anos. As famílias interessadas recebem treinamento especial e aconselhamento para lidar com os traumas das crianças.

A adoção garante a Aidan mensalidades gratuitas na universidade, apoio financeiro mensal e plano de saúde até completar 18 anos. Esperamos que ele seja adotado por pessoas amorosas e dispostas a oferecer muito carinho.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.