Menina de nove anos é brutalmente assassinada com mais de trinta facadas; Veja mais detalhes

Suspeitas alegam que praticaram o crime porque a vítima provocava o filho ao chamá-lo de “baleia”

O Balanço Geral trouxe detalhes do caso da menina Emanuele Aparecida Gregório Gomes, de apenas 9 anos, assassinada dentro da casa vizinha. Duas mulheres, uma mãe de 56 anos e sua filha, de 32 anos, foram presas em flagrante durante uma ação realizada pela Polícia Militar de Minas Gerais.

Segundo Boletim de Ocorrência, ela foi atraída pela mulher de 56 anos e a filha dela golpeou a menina com uma facada no peito. Juntas, as duas executaram a criança com, pelo menos, trinta perfurações.

Na delegacia, a chegada das suspeitas foi sob protesto da população. Em depoimento, elas disseram que cometeram o assassinato porque a vítima chamava o filho e neto das suspeitas de “baleia”. Foi o marido da autora quem ligou para a polícia relatando que a esposa dele telefonou dizendo que havia matado uma pessoa.

A população ficou revoltada e arrancou o portão da casa das suspeitas durante a noite de quarta-feira (24). Elas foram conduzidas para delegacia de Governador Valadares (MG) e, posteriormente, ao presídio da cidade, por meio de um mandado de prisão preventiva.

Através de escuta especializada com uma psicóloga, o menino contou que estava no quarto quando ouviu os gritos. Quando saiu, se deparou com o corpo da menina e o sangue. Para a profissional, ele negou as provocações por parte da Emanuele.

Ainda, ele afirmou que acha que a mãe e a avó cometeram o crime porque a vítima falava para pessoas da vizinhança que ele queria namorá-la, mas ela não queria. Segundo o menino, a mãe ficava nervosa com a história.

Confira na íntegra: