Menina de dois anos é morta a tiros no colo do padrasto

6 4

Uma menina de 2 anos morreu após ser baleada em um terminal de ônibus, na noite de quarta-feira (7), na Cidade Universitária, na Zona Oeste do Recife. Ela estava no colo do padrasto e acompanhada pela mãe quando um homem armado chegou no local e atirou, segundo a Polícia Civil. O padrasto ficou ferido (veja vídeo acima).

Segundo o Hospital da Restauração, no bairro do Derby, para onde o padrasto encaminhado, ele foi baleado no braço, na mão e no abdômen. De acordo com a polícia, a criança foi atingida na cabeça e no abdômen. Identificada como Lorena Letícia dos Santos, a menina foi socorrida, mas não resistiu.

AdChoicesPUBLICIDADE

Duas versões do que teria ocorrido são investigadas. O padrasto da criança, Jefferson Tavares, de 34 anos, contou aos policiais que estava sentado em um banco no terminal, com a enteada no colo, quando um homem chegou e anunciou o assalto. Ele teria saído correndo com a menina no colo quando o criminoso atirou contra os dois.

A mãe de Lorena, Sonora Letícia dos Santos, afirmou que o padrasto ainda tentou soltar a menina, mas ela se agarrou ao pescoço dele. Ainda de acordo com ela, Jefferson tinha um carinho muito grande pela enteada, que o chamava de pai.

A outra versão investigada pelos policiais, segundo apurou a TV Globo, é de que o crime teria a ver com um acerto de contas entre o criminoso e o padrasto da menina. Segundo peritos relataram, o ataque teria sido de frente, o que contraria a versão de que ele correu com a menina.

O caso aconteceu por volta das 21h. Segundo relatos, o padrasto fugiu para dentro da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Em nota, a UFPE informou que o padrasto, já ferido, entrou por uma portaria próxima ao Centro de Tecnologia e Geociências (CTG),

“Quando os seguranças da Universidade chegaram ao local, o rapaz ferido estava caído no chão. A polícia foi chamada e socorreu o jovem para UPA da Caxangá”, disse a universidade.

Lorena foi encaminhada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Caxangá e faleceu no local, segundo a polícia. O padrasto também foi levado para a mesma unidade de saúde e depois foi transferido para o Hospital da Restauração.

De acordo com o hospital, por volta das 9h desta quinta-feira (8), ele já estava de alta, pois os tiros foram transfixantes, o que significa que eles passaram de um lado ao outro no corpo da vítima. O hospital informou que ele recebeu suturas.

A polícia informou que um inquérito foi aberto no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), no bairro do Cordeiro, na Zona Oeste, e que o crime foi registrado como homicídio e tentativa de homicídio.

ASSISTA A REPORTAGEM:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.