Médico do Caxias pede demissão após cobrar vacinação do técnico

Sem titulo 389

O médico do Caxias, Rafael Lessa, pediu demissão após se envolver em uma polêmica sobre vacinação com o técnico do time gaúcho, Rafael Jacques.

Em nota divulgada à imprensa nesta quinta-feira, ele afirmou que foi impedido de trabalhar em jogos do clube após uma solicitação feita pelo técnico e pelo dirigente Ademir Bertoglio ter sido acatada pelo presidente do clube, Paulo César Santos. Em nota, o clube afirmou que as decisões são sempre para contemplar “os interesses da instituição” (veja a íntegra abaixo).

O afastamento teria sido motivado após o médico ter realizado uma postagem em suas redes sociais cobrando o técnico Rafael Jacques a realizar a vacinação contra o coronavírus, fato que foi adiado por alguns meses pelo comandante do Caxias.

– Fui comunicado pelo presidente e pelo vice presidente do Departamento Médico da S.E.R. Caxias, que foi exigido pelo gerente de futebol e pelo técnico, Rafael Jacques, que eu não realizasse mais jogos pelo clube. Na verdade, nas palavras do Paulo César, a quem nutro respeito, carinho e amizade, foi dito: “Eles me chamaram no quarto do hotel, viram sua postagem com a cobrança e disseram que não querem mais que você faça os jogos – revelou Lessa no comunicado.

Rafael Jacques, de 46 anos, ficou cinco dias internado em um hospital de Porto Alegre em agosto deste ano em decorrência da Cøvid-19. Naquela época, veio a público que o técnico não havia se vacinado.

O treinador e chegou a ficar de fora de jogos do time na Série D do Brasileiro. Desde então, o médico afirma ter passado por um momento muito delicado de pressão porque o mesmo defendeu a permanência de Jacques em isolamento por um período maior.

– A determinação, com base no documento e no perfil de sua internação, de que o treinador deveria ampliar o isolamento até completar 20 (vinte) dias foi recebia como uma afronta ou um desejo de prejudicar a equipe – lamentou Lessa na nota.

O pedido de demissão do médico é o novo capítulo de uma polêmica iniciada no Caxias há meses e que veio a público nas últimas semanas.

Em uma entrevista coletiva no dia 16 de setembro, Jacques foi novamente questionado se já havia sido imunizado 45 dias depois de ter contraído o vírus.

– Próxima (pergunta) – limitou-se a responder.

A postura do técnico motivou a série de postagens do médico do Caxias no Twitter no dia seguinte, que deixou claro seu descontentamento com a situação.

– Eu, Rafael Lessa, não tenho qualquer dúvida sobre a efetividade das vacinas para a proteção pessoal e da sociedade. Também posso afirmar que o departamento com quem trabalho possui o mesmo pensamento, independente da nossa ideologia política e partidária – escreveu.

A direção Caxias deve se manifestar sobre o assunto na tarde desta quinta-feira. O treinador confirmou que tomou a vacina contra a Cøvid-19 ao ser questionado pelo repórter Pedro Petrucci, da Rádio Gaúcha Serra e jornal Pioneiro, dois dias depois, em 18 de setembro.

– Pedro, eu não respondi a pergunta porque estava concentrado na decisão. Estou vacinado, dia 14 vacinado e dia 18 classificado – afirmou Jacques.

Confira a íntegra da nota publicada pelo Caxias:

A S.E.R. Caxias esclarece que:

1º) O Departamento Médico da S.E.R. Caxias é comandado pelo Vice-Presidente Médico Dr. Aloir Neri de Oliveira;

2º) A não continuidade do Dr. Rafael Lessa Costa é uma decisão pessoal dele;

3º) A gestão do Departamento Médico da S.E.R. Caxias, comandada pelo Dr. Aloir Oliveira, tem ao longo de anos prestado inestimáveis serviços à S.E.R. Caxias, portanto, tem todo o respaldo da Direção na condução do Departamento Médico, seja em decisões clínicas, seja em decisões administrativas.

4º) As decisões tomadas pela S.E.R. Caxias sempre são priorizando os maiores e mais sagrados interesses da Instituição, acima de qualquer outro interesse de cunho pessoal, de quem quer que seja.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.