Mãe se enfurece ao encontrar foto do filho em página chamada “bebês feios” e faz perfil sair do ar!

Sem titulo 3

A jovem entrou em choque quando percebeu que seu bebê, de apenas nove meses, estava na página, e se juntou a outros pais para que a rede excluísse o perfil.

Nenhuma mãe gosta que seu filho receba críticas. Não importa se é sobre o comportamento ou sua aparência, a verdade é que a criação envolve aspectos complexos, e os pais se sentem pressionados a cumprir todas as expectativas externas, fazendo com que se sintam abalados quando seus filhos são criticados.

A situação se torna extrema quando envolve bebês. Ainda em crescimento e desenvolvimento, muito do comportamento que apresentam nem sequer é possível controlar, já que não possuem capacidade cognitiva para compreender algumas regras sociais. Imagine-se quando pessoas desconhecidas falam mal da aparência de um bebê? Qual pai ou mãe acharia isso normal?

Courtney Tait, de 21 anos, descobriu que seu filho Hudson, de nove meses, era um dos vários bebês de uma página do Instagram chamada “Ugly Babies” (bebês feios, em inglês). O choque foi gigantesco, mas além do filho, ela encontrou a foto do filho natimorto de sua amiga, o que a fez se encher de fúria.

Em reportagem ao The Sun, Courtney explica que haters (pessoas que destilam ódio gratuito na internet) haviam enviado uma foto dela, de seu marido Scott Freary e seu filho Hudson para a conta, que a republicou.

As autoridades acreditam que a página foi criada em Teeside, no Reino Unido, já que vários dos bebês que aparecem são dessa região, mas nada ainda foi confirmado.

Para a mãe, foi extremamente doloroso ver seu filho em uma página como aquela, em que o principal intuito seja ferir e magoar os sentimentos das famílias, como se fosse algum tipo de piada. A última coisa que uma família quer é ouvir que seu bebê é feio, e mesmo sabendo que ele é bonito, a sensação de raiva permanece quando percebe que milhares de estranhos viram a foto do seu filho.

Assim que Courtney tomou conhecimento da página, ela e outros pais resolveram se unir, são mais de 200 famílias envolvidas nesse caso, e todas relataram a conta às autoridades.

Uma mãe chegou a receber ameaças dos moderadores da “@Ugly_Babies_page”, dizendo que iriam matar sua mãe. A sensação de insegurança tomou conta dos responsáveis, já que, em muitos casos, os administradores chegavam a saber até dos endereços das vítimas.

Muitos pais se perguntam que tipo de pessoa é capaz de seguir uma página como essa, mas ninguém sabia exatamente como responder a esse questionamento. Algumas famílias decidiram seguir a conta para ter certeza de que seus filhos não estariam ali, outras receberam solicitação de amizade e foram checar para ver do que se tratava. Houve ainda pessoas que achavam que aquilo era simplesmente uma piada.

Courtney fez uma importante denúncia depois que procurou a polícia. A conta não foi tirada do ar imediatamente, e ela precisou ir atrás da mídia para tornar o caso público.

Só depois que grandes jornais publicaram sua história, um porta-voz do Facebook explicou que intimidação e assédio não seriam tolerados. A conta foi removida porque tinha “violado as políticas” da empresa.

As leis do Reino Unido têm se tornado cada vez mais difíceis para os gigantes das mídias sociais, que impõem multas altíssimas para casos de violação das leis locais. Os ministros pretendem tornar a região um dos lugares mais seguros do mundo para estar on-line, e Boris Johnson, o primeiro-ministro do Reino Unido, comprometeu-se a levar adiante a Lei de Segurança On-line.

O principal foco dos políticos é garantir que a internet seja um local seguro, principalmente para as crianças. Todos têm direito de desfrutar de uma internet gratuita, aberta e segura no país, e todos têm levado essas políticas bem a sério.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.