Mãe que matou e jogou corpo do filho no rio fazia criança escrever frases humilhantes em caderno.

design sem nome 16 1067x600 1

A polícia encontrou no apartamento da mulher uma corrente usada para prender o menino no guarda-roupa e um caderno com frases ofensivas que a mãe obrigava o filho a escrever.

Um caderno com frases ofensivas, como “Eu não presto” e “Eu sou um filho horrível”, copiadas por Miguel dos Santos Rodrigues, foi encontrado pela Polícia Civil do Rio Grande do Sul encontrou, na terça-feira (3). O menino de 7 anos foi morto pela mãe, Yasmin Vaz dos Santos Rodrigues, de 26 anos, e teve seu corpo jogado em um rio. Yasmin foi presa em flagrante na última sexta-feira (30) em Imbé, no litoral do estado.

A mulher chegou a procurar a delegacia para registrar o desaparecimento da criança, mas confessou que dopou o menino e jogou o corpo no Rio Tramandaí. O corpo foi transportado em uma mochila de rodinha, que já foi apreendida pela polícia. Yasmin também confessou que mantinha Miguel acorrentado dentro de um guarda-roupa.

mulher chegou a procurar a delegacia para registrar o desaparecimento da criança, mas confessou que dopou o menino e jogou o corpo no Rio Tramandaí. O corpo foi transportado em uma mochila de rodinha, que já foi apreendida pela polícia. Yasmin também confessou que mantinha Miguel acorrentado dentro de um guarda-roupa.

O caderno com as frases foi encontrado pela polícia durante as buscas em um dos apartamentos que Yasmin morou com o filho, em Imbé. A corrente usada para prender a criança dentro do guarda-roupa também foi apreendida. A companheira de Yasmin, Bruna Nathieli Porto da Rosa, também é suspeita e está presa. 

Yasmin deve ser indiciada por homicídio qualificado, além de ocultação de cadáver e resistência. O corpo de Miguel ainda não foi localizado pelas equipes de busca no rio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.