Mãe passa 3 anos mentindo que a filha tinha doença terminal para conseguir receber doações

Sem titulo 56

Qual seria sua reação se descobrisse que uma pessoa, que passou anos dizendo que estava à beira da morte, na verdade, sempre esteve saudável? No mínimo indignação ou a sensação de enganação, traição, de ser passado para trás.

Lindsey Abbuhl, de 34 anos, passou três anos enganando centenas de pessoas, mas dizia a todos que sua filha, agora com 11 anos, é quem tinha uma doença terminal. A mãe conseguiu arrecadar milhares de dólares afirmando que Rylee tinha uma doença fatal, segundo as autoridades.

Em Canton, Ohio (EUA), a mulher disse a seus amigos e familiares que a filha sofria de uma falha no sistema nervoso central, o que a impossibilitava de comer, mantendo-a exausta, tendo de tomar dezenas de analgésicos e passando por episódios regulares de convulsões noturnas. Em 2018, Lindsey começou a arrecadar fundos para pagar o custo de vida e as “despesas médicas” da filha, segundo o jornal The Sun.

Os documentos do processo mostram que as doações vieram de grandes eventos de caridade em prol de Rylee.

As autoridades ainda explicam que a menina chegou a pedir a amigos para carregarem seu caixão no funeral, além de ser frequentemente levada a médicos, acreditando de verdade que ia morrer.

Direitos autorais: reprodução Facebook/Lindsey Abbuhl.

As duas chegaram a ser convidadas de honra em um jogo de softball da Texas A&M, ganharam ingressos para o Sea World e arrecadaram cerca de R$ 25 mil em uma vaquinha on-line que um amigo criou, sem saber a verdade sobre a condição de saúde da criança.

O tribunal estabeleceu que não se encontrou nenhuma evidência de problemas de saúde, depois que o pai se preocupou com a “doença” de sua filha.

Além disso, um especialista médico, indicado pelo tribunal, revisou todos os registros clínicos de Rylee, de neurologia, genética, gastrointestinal, hematologia, reumatologia, pneumologia e até podologia, mas não há evidências de que ela possui uma doença terminal.

Direitos autorais: reprodução Facebook/Lindsey Abbuhl.

Segundo uma denúncia de negligência e abuso, apresentada pelos Serviços de Crianças no Tribunal de Família, Lindsey “usa a condição médica de Rylee para conseguir vantagens financeiras, ganhando viagens, hospedagens e o pagamento de despesas nos últimos anos”. A criança chegou a frequentar um conselheiro para aprender a “processar sua morte”, de acordo com os médicos.

Depois de desvendar a trama da ex-mulher, Jamie Abbuhl, pai de Rylee, recebeu a custódia total de sua filha e sua advogada afirmou que isso precisava ser feito.

A mãe enganou amigos, familiares e desconhecidos, chegando a documentar o dia a dia da criança nas suas redes sociais. Ela pedia orações, ajuda e sempre afirmava que o estado de saúde dela estava ruim.

A mãe chegou a afirmar a um jornal que a filha só tinha dois meses de vida, já que seus órgãos estavam se fechando, e que já tinham chegado a um ponto que só queriam garantir sua “qualidade de vida”. Quando o pai e outros membros começaram a suspeitar do quadro de saúde da criança, procuraram o jornal local Canton Repository para iniciar uma investigação.

Direitos autorais: reprodução Facebook/Lindsey Abbuhl.

A mãe insistiu na mentira e disse que havia uma equipe de médicos tentando determinar a origem da doença. Afirmou também que chamá-la de mentirosa era o mesmo que chamar sua filha de mentirosa. As pessoas acreditam que Lindsey possui algum distúrbio e está realmente doente, precisando de ajuda.

O fato de querer atenção a qualquer custo, sem não saber como consegui-la, fez com que envolvesse sua filha em uma mentira muito séria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.