Mãe diz que pegou filho aos 3 anos tentando cortar o pënis com uma tesoura por se achar menina

menina trans

“Ela sabe que ainda é um menino, mas diz que por dentro é uma menina”, conta mãe

A mãe britânica conta que aos 3 anos, pegou Logan tentando cortar seu próprio pënis com uma tesoura. Desde então, deixou a criança ser quem ela realmente quer. “Ela sempre foi uma menina. Nunca gostou de coisas de meninos, nem mesmo antes de poder falar. Aconteça o que acontecer, só quero que ela seja feliz”, afirmou

A mãe de dois britânica Jess Bratton, 25 anos, de Staffordshire, na Inglaterra, disse que se lembra “como se fosse ontem” quando pegou o filho Logan, na época com 3 anos, tentando cortar o próprio pënis com uma tesoura. O incidente chocante a fez perceber que o filho, que sempre foi “amante de bonecas”, não estava simplesmente passando por uma fase. Foi quando ela tomou a decisão de permitir que Logan crescesse como uma menina.

Em entrevista ao Daily Mail, ela relembrou esse dia. “Eu estava na cozinha fazendo o jantar, de costas para a porta do quarto de Logan. Ela estava tagarelando com suas bonecas, mas de repente ficou em silêncio. Gritei o nome dela e não obtive resposta, então, segundos depois, fui ao quarto e a peguei sentada na cama com as calças abaixadas, segurando uma tesoura nas pontas. Eu gritei alto, o que a fez pular, e rapidamente tirei a tesoura dela. Então eu apenas a segurei em meus braços e nós duas choramos. Depois, expliquei que cortar-se iria doer muito e que, como ela queria fazer algo tão drástico, teríamos que falar com um médico. Aquele dia me fez perceber a gravidade da situação. Não foi apenas uma fase; meu filho realmente queria ser uma menina”, contou.

A mãe conta que Logan, agora com 8 anos, sempre mostrou mais interesse por roupas e objetos de meninas, e desde tenra idade já usava toalhas na cabeça fantasiando ter cabelos compridos. Jess disse que não suportava ver Logan infeliz e sabia que as coisas teriam que mudar. Ela, então, procurou o clínico geral da família. O médico disse que poderia não ser  apenas uma fase, mas também afirmou o menino ainda era muito jovem para receber aconselhamento. “Meu médico disse que não havia realmente nada que pudéssemos fazer, mas solicitou que eu ficasse de olho em Logan enquanto isso. Antes disso, eu tinha tentado encorajar Logan a se vestir com roupas de meninos e brincar com brinquedos de meninos, mas depois do susto eu decidi dar boas-vindas a seu desejo de mudar”, disse.

Pouco antes do incidente com a tesoura, Jess deu à luz Lylah, sua caçula. “Logo, ela começou a pedir para fazer meu cabelo e maquiagem. Ela estava tão interessada em mim, assim como em sua irmã quando ela nasceu. Conforme Lylah crescia, os dois se tornaram mais irmãs do que irmão e irmã, e o desejo de Logan de ser uma menina nunca foi embora. Na verdade, ele só ficou mais forte. Quando Logan tinha 6 anos, começou a falar sobre mudança de sᕮxo. Ela me disse que não queria ter seus genitais e continuou dizendo que queria ser ‘Maria’, como eu e sua irmã. Eu disse a ela que, quando ela fosse um pouco mais velha, os médicos poderiam ajudá-la”, lembra a mãe.

Agora Jess diz que Logan, 8, e Lylah, 6 anos, brincam juntas de maquiagem e bonecas. “Elas adoram se vestir e fazer um desfile de moda pra mim e o padrasto. Elas nos fazem julgá-las em competições de canto e dança, e até mesmo fazer a maquiagem delas para ‘sessões de fotos'”, contou. Jess, que está separada do pai de Logan, disse que reação de familiares e amigos foi positiva. ‘Logan tem uma forte rede de apoio e, felizmente, só recebeu coisas boas. No começo, havia uma pessoa estranha me dizendo para ‘cortar pela raiz’ e para impedi-la de usar roupas de menina, mas eu não estava preocupada. Eu sabia que era normal que as crianças tentassem coisas novas ou experimentassem. Houve momentos em que eu realmente tentei fazê-la ser um menino, encorajando-a a jogar futebol com outros meninos no parque, mas ela recusou. E eu não quero forçá-la”, explicou.

Uniforme escolar feminino

No dia 8 de março deste ano, Jess disse que tomou a corajosa decisão de permitir que Logan voltasse para a escola vestindo um uniforme feminino. “Antes do Natal, Logan saiu da escola parecendo um menino. Agora ela voltou vestida com um uniforme feminino pela primeira vez. Isso tudo por causa da confiança que ela adquiriu durante a pandemia. Tem sido um momento muito positivo para Logan e deu à ela a chance de descobrir seu verdadeiro eu”, afirmou. Em seu primeiro dia de volta às aulas, Logan usou uma saia feminina com o suéter da escola, meias com babados, sapatos femininos de verniz, rabo de cavalo e faixa de cabelo.

“Ela sempre teve muito medo de ir para a escola vestida de menina, mas estar em casa [na pandemia] realmente permitiu que Logan se tornasse confiante o suficiente para ir em frente. Enquanto ela não conseguia parar de sorrir, eu estava uma pilha de nervos! Eu estava tão preocupado com a possibilidade de ela ser intimidada. Falei com alguns pais da escola e com a professora de Logan sobre isso antes, e todos foram muito positivos. Felizmente, a escola tem sido muito favorável. A professora de Logan também mostrou à classe um vídeo do YouTube sobre ser transgênero e seus amigos acham que ela é mais legal por causa disso”, revelou.

Agora, ela se sente confortável para se vestir como quer, incluindo saia, acessórios femininos e maquiagem. “Ela adora quando os caixas [do supermercado] se referiam a ela como uma menina e dizem que ela se parece comigo”, conta a mãe, orgulhosa. Por enquanto, Logan está mantendo seu nome, mas Jess explica que isso pode mudar. “Ela está feliz em mantê-lo por enquanto, mas porque se sente diferente, quer um novo nome. Já discutimos isso no passado e Logan escolheu alguns nomes, mas eles sempre mudam. Tenho certeza de que ela vai encontrar um que vai aderir em breve”, disse.

Jess admite que ser pai de uma criança transgênero pode ser solitário e, por isso, decidiu compartilhar sua história. “No início, pensei: ‘Por que eu?’. Era um lugar solitário para se estar, mas rapidamente me recuperei. Eu não conhecia ninguém que estava passando pela mesma coisa, então fiz muitas pesquisas online e encontrei alguns grupos de apoio. Além de mostrar como estou orgulhosa de Logan, quero compartilhar minha história para aumentar a conscientização sobre ser transgênero e encorajar outros pais a não se envergonharem de seus filhos”, disse. “Ela sempre foi uma menina. Ela nunca gostou de coisas de meninos, nem mesmo antes de poder falar. Ela sabe que ainda é um menino, mas diz que por dentro é uma menina. Aconteça o que acontecer, só quero que ela seja feliz. Isso é tudo o que realmente importa”, finalizou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.