Madrasta insere barra de ferro quente nas partes íntimas da enteada para ela parar de fazer xixi na cama

woman o 1 1

De acordo com um relatório do SaharaReporters, uma menina de cinco anos (nome não divulgado) do estado de Adamawa pode não levar uma vida normal novamente devido aos ferimentos infligidos em suas partes íntimas pela madrasta.

Soube-se que uma certa Aisha Mohammed inseriu uma barra de ferro quente nas partes íntimas de sua jovem enteada porque ela estava fazendo xixi na cama.

A mãe da vítima, Aisha Abdullahi, lamentou a situação, dizendo: “Minha filha pode nunca ter uma vida normal como mulher.”

A Federação de Mulheres Advogadas Internacionais, FIDA, no estado de Adamawa, prometeu obter justiça para a menor, de acordo com Khadija Nasir, membro da associação.

O comando da polícia estadual de Adamawa confirmou que a suspeita, Aisha Mohammed, está sob sua custódia.

O porta-voz do comando, DSP Suleiman Nguroje, disse ao SaharaReporters que “o comando da polícia do Estado de Adamawa, em 01/07/2021 prendeu uma suspeita de 18 anos por torturar e maltratar sua enteada de 5 anos.

“A suspeita, Aisha Mohammed, residente na aldeia de Wuro Patuji, Área do Governo Local de Mubi Sul, aproveitou-se do bebê após o divórcio de sua mãe que a colocou sob os cuidados e custódia de sua madrasta.

” A investigação revela o suspeito, sendo a segunda esposa com o pai da vítima, cometeu o delito usando ferro quente (barra) para torturar e infligir ferimentos nas partes íntimas do bebê, pois ela expeliu urina em sua cama.

“A perversa madrasta foi presa pela polícia na área do governo local de Mubi South após um relatório recebido de Aisha Abdullahi (mãe da vítima) e da barrister Khadija Nasir, uma advogada.”

O Comissário da Polícia, CP Aliyu Adamu Alhaji, elogiou a FIDA e a polícia por denunciarem e impossibilitarem os criminosos de escapar à justiça.

O comissário de polícia ordenou que uma investigação discreta seja conduzida porque a vítima está sob tratamento médico.

Enquanto isso, como parte dos esforços para combater atividades criminosas no estado, o comissário de polícia destacou oficiais da unidade familiar / seção de direitos humanos para perseguir qualquer pessoa que cometa esses crimes hediondos.

Ele também pediu ao público que sempre denuncie à polícia pessoas de caráter suspeito em seus bairros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.