Lázaro é baleado e morto em Goiás no 20º dia de buscas

aneel 4 8

Ele era procurado por uma força-tarefa policial desde o dia 9 de junho após matar uma família em Ceilândia, no DF. Aos 32 anos, Lázaro já tinha extensa ficha criminal, fugiu três vezes da prisão e era acusado de diversos crimes desde 2007.

Lázaro Barbosa foi morto após ser baleado em Águas Lindas de Goiás, nesta segunda-feira (28), no exato 20º dia de uma megaoperação que contou com mais de 270 policiais (ASSISTA AO VÍDEO ACIMA). Procurado por uma força-tarefa desde o começo de junho, Lázaro foi atingido após atirar diversas vezes contra os policiais. Ele tinha 32 anos.

“Ele descarregou uma pistola, possivelmente 380, em cima do policiais”, disse Rodney Miranda, secretário de segurança pública de Goiás. Ainda de acordo com o secretário, Lázaro foi socorrido com vida, mas chegou morto ao hospital.

Condenado por assassinatos e estupros, o fugitivo da Justiça era procurado por uma série de crimes na Bahia, no Distrito Federal e em Goiás. Com conhecimento de mata, Lázaro sabia se disfarçar em vegetações e fugia por rios para não deixar rastros.

Após ser baleado, Lázaro foi levado por uma viatura do Corpo de Bombeiros para o Hospital Municipal Bom Jesus, e a morte foi confirmada pela Polícia Técnico-Científica de Goiás. Por volta de 11h10 uma viatura do Instituto Médico Legal (IML) chegou aos fundos da unidade de saúde.

As buscas por Lázaro, que causaram intensa mobilização no país, começaram após a morte de quatro pessoas de uma mesma família em Ceilândia, no Distrito Federal, em 9 de junho (leia mais sobre o crime ao fim da reportagem).

Imagens também mostram o fugitivo ferido quando foi colocado em uma ambulância.

As informações sobre a captura de Lázaro foram divulgadas pelo governador de Goiás, Ronaldo Caiado (assista ao vídeo abaixo).

“Acabo de receber neste momento uma informação de todas as equipes que estão na região de Cocalzinho que o Lázaro foi preso”, disse o governador Ronaldo Caiado.

“[…] Parabéns para as nossas forças de segurança. Vocês são motivo de muito orgulho para a nossa gente! Goiás não é Disneylândia de bandido”, completou o governador.

Relembre buscas e fuga cinematográfica

As buscas começaram no dia 9 de junho, após o crime no DF. Na fuga, Lázaro roubou um carro e foi para a cidade de Cocalzinho de Goiás, a 80 km de distância. Desde então, foi perseguido pela força-tarefa policial pelas matas da região.

Drones, helicópteros, rádios comunicadores e até um caminhão com uma plataforma de observação elevada para fazer videomonitoramento ajudaram nas operações.

Cães farejadores também atuaram na caçada a Lázaro. A cadela Cristal, que ajudou nas buscas em Brumadinho (MG), estava entre eles.

Um dos animais, o pastor alemão Sauke, se machucou em uma pedra dentro de um rio. Um vídeo mostrou o momento em que o cão foi carregado nas costas por um militar

Durante a perseguição, Lázaro invadiu ao menos 11 fazendas, trocou tiros e baleou moradores, dois policiais militares e um oficial da Força Aérea Brasileira (FAB), segundo informações da força-tarefa.

Ele também fez uma família refém em uma das fazendas – o casal e uma adolescente de 16 anos. Durante o sequestro, o criminoso exigiu que todos andassem em um córrego para não deixar rastros. Imagens registraram o momento em que a polícia encontrou a família (veja no vídeo acima).

Durante as buscas, os policiais encontraram ainda um carro queimado e alguns objetos, como um lençol usado e um serrote. Todos os itens seguiram para a perícia.

Veja outros crimes cometidos por Lázaro

Há 14 anos Lázaro acumula passagens policiais, crimes e fugas de presídios, a começar pela cidade em que nasceu na Bahia, Barra dos Mendes, onde é acusado de um duplo homicídio em 2007.

À época, segundo a Polícia Civil baiana, Lázaro ficou nove dias escondido numa mata e decidiu se entregar porque estava ferido. Ele fugiu dez dias depois.

Em 2011, Lázaro foi preso e condenado por roubo e estupro no DF. O crime foi cometido em 2009 por ele e um irmão, que morreu dois anos depois. Lázaro ficou na Penitenciária da Papuda (CPP), em Brasília. Ele chegou a fazer cursos de “empatia, sexualidade e para se colocar no lugar das vítimas”.

Condenado por roubo, estupro e porte ilegal de arma de fogo no DF, ele saiu em 2016 no indulto de Páscoa e não voltou mais.

Lázaro chegou a ser detido novamente em 2018, em Águas Lindas de Goiás, mas fugiu do presídio por um buraco no teto da cela, com mais quatro detentos. Ele foi o único do grupo a não ser recapturado.

Desde então, Lázaro é suspeito de assaltar chácaras em cidades goianas do Entorno e no Distrito Federal. Em Cocalzinho de Goiás, ele é investigado por matar um caseiro no fim de maio. Quatro dias depois, foi acusado de matar a família Vidal, em Ceilândia.

Veja o histórico de prisões e fugas:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.