Jovem mora em cemitério e dorme em túmulos abertos: “Medo dos vivos”

1 4

Há três anos, Glauberto Willame (foto em destaque) divide as noites de sono com túmulos e lápides do Cemitério Nossa Senhora da Conceição de Poço de José de Moura, no Sertão da Paraíba. É lá que o jovem, desempregado e morador de rua, tem encontrado abrigo.

Em entrevista ao G1, Willame admitiu que já teve medo de passar as noites e madrugadas no cemitério. No entanto, deitar ao lado dos mortos já não é mais um problema para ele. “A gente tem que ter medo de quem tá vivo”, ressaltou.

Ao portal, o jovem negou que tivesse presenciado alguma “atividade paranormal” e relatou dormir em sepulturas abertas e de “proprietários” desconhecidos.

A comida que o alimenta vem de um restaurante nos arredores do espaço, em gesto solidário do dono do estabelecimento comercial.

Atualmente, Willame vive de bicos, que lhe rendem de R$ 40 a R$ 50 por dia. “Trabalho de tudo um pouco pra não ficar sem nada”, disse à reportagem.
Apesar de se sentir confortável dormindo no cemitério, o jovem não pretende permanecer no local e segue à procura de um emprego para melhorar de vida.

Algo errado com esse post?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.