Jovem de 19 anos é morta a tiros pelo namorado após briga por usar biquíni

Screenshot 20211118 102456

Uma jovem de 19 anos foi morta a tiros pelo namorado, de 18, no Setor Independência Mansões, em Aparecida de Goiânia, na região metropolitana da capital goiana. De acordo com informações da Polícia Civil de Goiás (PCGO), a briga, que terminou com o assassinato da moça, foi motivada por ciúme excessivo do rapaz, que não a deixava usar biquíni. As informações são do site Metrópoles.

Segundo o delegado Hudson Benedetti, responsável pela apuração do caso, a jovem foi morta no dia 15 de novembro. Ao Metrópoles, o investigador afirmou que, na data do crime, o casal estava em uma chácara, com familiares, e teria terminado o relacionamento após uma séria discussão.

No vídeo, a partir do primeiro minuto (1’04”) é possível ver a jovem se aproximando do carro parado próximo ao cruzamento das avenidas, momento em que é atingida pelos disparos. Cerca de um minuto depois, populares começaram a chegar ao local, onde está o corpo da moça. Vídeo abaixo.

“Conforme a investigação e confirmado por familiares que prestaram depoimento hoje (17/11), eles estavam em uma chácara e teriam discutido por ciúmes, o rapaz tinha um comportamento possessivo. Em razão disso, eles terminaram o relacionamento. Mais tarde, o jovem foi até a casa dela para tirar satisfações, já armado e, lá, familiares separaram a briga. Ele já havia feito alguns disparos”, disse o delegado.

“No entanto, segundo os familiares, ela era muito submissa ao namorado e, não acreditando que ele a mataria, ela fez contato com ele e marcaram um encontro próximo à casa dela. Pelas imagens dá para ver que ela vai em direção ao carro e ele dispara. Foram cinco tiros, dois atingiram a cabeça e três o tórax. Ela morreu na hora”, completou o Benedetti.

Prisão

Após matar a namorada, o jovem fugiu para a casa de um tio em Quirinópolis, na região sudeste de Goiás, onde foi preso. De acordo com o delegado, o flagrante foi lavrado na cidade, no entanto, a responsabilidade do caso é do Grupo de Investigações de Homicídio (GIH) de Aparecida de Goiânia, onde o assassinato ocorreu.

Benedetti afirma que o jovem deve responder pelos crimes de feminicídio, porte de arma e tráfico de drogas, já que a Polícia Militar encontrou 18 tabletes de maconha na residência do rapaz. O autor segue preso em Quirinópolis e, nesta quinta-feira (18/11), deve passar pela audiência de custódia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.