Jornalista da Globo é agredida e ofendida por filmar confusão em jogo

Jornalista da Globo e agredida ao filmar briga em jogo de futebol

Uma jornalista do Grupo Globo foi agredida por um homem que usava o uniforme do Altos, do Piauí, enquanto acontecia uma confusão generalizada do clube com o Fluminense-PI, que se enfrentaram na 9ª rodada do campeonato estadual.

Emanuele Madeira, do ge, filmava a briga entre o técnico Wallace Lemos, do Flu-PI, e o presidente do Jacaré, Warton Lacerda, na porta dos vestiários do estádio Felipão, em Altos. A profissional da TV Clube, afiliada da Globo no estado, teve o celular arrancado à força.

Ela ainda foi agredida no braço por uma pessoa que depois a agarrou pelo pescoço se recusando a devolver o material de trabalho da jornalista, segundo informações do próprio site da emissora.

“Ei, ei, não tô sendo filmado aqui, não, moça”, ameaçou o funcionário. “Nem toque”, reagiu a jornalista. “Pois é, pois não venha filmar ninguém aqui, não”, disparou o homem, antes de tirar o celular da mão da profissional.

A jornalista do ge registrou boletim de ocorrências na Polícia Civil. O clube, por sua vez, negou que a pessoa flagrada usando camisa do clube faça parte da sua equipe.

Warton Lacerda, presidente do Jacaré e um dos personagens do tumulto, informou ao site da emissora carioca que o homem “pode ser algum torcedor” que teve acesso ao gramado.

A Polícia Civil informou ao site que a equipe de reportagem identificou o agressor apenas como “Joãozinho”, como ele é conhecido na cidade. O agressor não foi encontrado para comentar o episódio.

Emanuele Madeira explicou ao ge: “Ele tomou o celular da minha mão, e eu fui para cima dele tentando recuperar. Ele tentou me impedir me afastando de lado. Por conta do cinegrafista ter chegado em cima, ele devolveu meu celular. A intenção dele era apagar o vídeo. Ainda tem a tentativa de obstruir o nosso trabalho”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.