Israelense é expulso de julgamento por não parar de miar

Sem titulo 330

O israelense Nicolás Gil Pereg, de 40 anos, acusado de duplo homicídio – da mãe dele, Phyria Saroussy, e de uma tia, Lily Pere -, foi expulso do próprio julgamento. Segundo  informação do jornal  La Nación, o motivo da expulsão foi porque ele não parava de miar. O julgamento ocorria nesta 3º feira (26.out), em Mendonza, na Argentina.  Apelidado de “homem gato”, Gil Pereg é ex-militar e engenheiro eletrônico, e chegou à Argentina em 2009 para abrir um restaurante em Mendoza. 

Ele se autodenominava Floda Reltih – Adolf Hitler ao contrário – e se dizia norueguês . Em 2019, as parentes do acusado deixaram Israel para visitá- lo. Os corpos das vítimas foram encontrados mutilados e cobertos por terra e pedras. 

A juíza Laura Guajardo, que presidia a sessão, perguntou o nome do acusado e obteve um “miau” como resposta. O “homem gato” já havia sido alertado para se comportar no julgamento, mas, ainda assim, ele não mudou a postura e não respondeu a nenhuma pergunta na audiência. Foi necessária a intervenção da polícia para retirar o acusado da sala. 

A imprensa local avaliou que o episódio deve ser aproveitado pela defesa do réu, que já tinha alegado no júri popular que sofre de graves transtornos mentais.

VEJA:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.