Idosa de 62 anos é assaltada, estupr4da e morre após ter corpo incendiado

Amélia Chagas foi levada em estado grave para o Hospital Geral de Nova Iguaçu e morreu dois dias depois

No sábado, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, uma mulher de 62 anos foi queimada após ser vítima de abuso sᕮxual. Após dois dias de internação, Amélia Chagas não resistiu aos ferimentos e faleceu na tarde desta segunda-feira (5).

Segundo relatos de uma testemunha, Amélia estava cuidando pela casa de uma amiga na Rua Sete de Setembro, no bairro Camari, enquanto a proprietária se preparava para viajar para a Região dos Lagos durante o carnaval. Após deixar a amiga no ponto de ônibus, Amélia foi abordada por um homem de cerca de 20 anos.

A testemunha informou à polícia do 20ºBPM (Nova Iguaçu) que o agressor a rendeu, forçando-a a entrar na residência, e desferiu um golpe violento em sua cabeça antes de cometer o abuso. Posteriormente, o agressor ateou fogo a um sofá e lançou a mulher no meio das chamas, antes de fugir do local.

Com 55% do corpo queimado, Amélia foi socorrida em estado grave e levada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Cabuçu, sendo posteriormente transferida para o Hospital Geral de Nova Iguaçu. Segundo a direção do hospital, Amélia sofreu uma parada cardiorrespiratória às 15h10 desta segunda-feira (5). As queimaduras que ela apresentava eram de primeiro e segundo grau. Seu corpo foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) de Nova Iguaçu.

A família da vítima está perplexa diante da brutalidade desse crime. Amélia deixa cinco filhos e um neto. O caso foi registrado na 56ª Delegacia de Polícia (Comendador Soares).