Homem preso por matar a esposa grávida, a filha de 2 anos e um vizinho, confessou homicídio aos 13 anos, no Maranhão

Screenshot 20211206 091544

Com histórico de crimes bárbaros, Wanderson Mota Protácio, 21 anos, confessou mais um ao se entregar à polícia, neste sábado (4/12). Admitiu ter matado uma pessoa quando tinha 13 anos e vivia no Maranhão. A polícia não deu detalhes sobre o caso recém-admitido, mas vai apurar os fatos.

A ficha criminal do autor inclui tentativa de feminicídio, feminicídio, latrocínio (roubo seguido de morte) e homicídio. As três últimas vítimas foram a companheira grávida de 4 meses, a enteada de 2 anos e 9 meses, e um fazendeiro de 73 anos.

Secretário de Segurança Pública de Goiás (SSP-GO),Rodney Miranda disse que Wanderson negou ter trocado tiros durante a fuga e confirmou ter ido à fazenda onde pediu emprego aos trabalhadores que cuidavam de uma estufa de pimentões, em Mocambinho. Ao perceber que fora reconhecido, ele fugiu.

Neste sábado (4/12), ele apareceu em outra fazenda e Cinda Mara Siqueira o convenceu a se entregar. “Todos os bens que estavam com ele foram apreendidos, inclusive um aparelho telefônico”, explica o delegado-chefe da 3ª Delegacia Regional de Polícia (DRP), Vander Coelho. “A apresentação dele só se deu devido ao cerco que a polícia montou, isso tem que ser destacado. Devido às ações envolvidas, ou ele faria isso, ou nós o capturaríamos”, afirma o delegado.

Entenda o caso

Wanderson Mota Protácio, 21 anos, se tornou o principal suspeito de matar a namorada grávida de quatro meses, Raniere Aranha, 19, e a enteada, de 2 anos e 9 meses, a facadas, dentro de casa. O caso aconteceu no último domingo (28/11). Depois disso, teria ido até a fazenda do patrão, onde furtou um revólver com seis munições e se deslocou até uma propriedade vizinha e matou o fazendeiro Roberto Clemente de Matos, 73, e tentou estuprar a esposa dele.

Depois de cometer os assassinatos no domingo, Wanderson fugiu para Alexânia e chegou a visitar uma igreja evangélica na cidade. Ele tentou contato com alguns familiares, mas até então, nenhum deles sabia do crime ocorrido.

Cerca de 70 policiais participaram da operação, que durou cinco dias e acabou na manhã deste sábado (4/12), após Wanderson se entregar à polícia. Segundo relatos, o foragido apareceu durante a noite de sexta-feira (3/12) em outra fazenda da região de Gameleira, cidade onde eram concentradas parte das buscas, a 56 km de Abadiânia. No local, a proprietária o convenceu a se entregar. A mulher veio com o assassino até a área urbana da cidade por volta de 7h30. Após o criminoso se entregar, os dois foram levados para a 3ª Delegacia de Polícia de Anápolis.

Outro crimes

Além do triplo homicídio, o fugitivo é acusado de tentar matar uma mulher a facadas, em 2019, em Goianápolis (GO). O processo tramita no Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO) e a sentença ainda não foi decretada. Nos autos, consta que a tentativa de feminicídio aconteceu em 8 de dezembro de 2019, quando Wanderson chegou em casa sob efeito de drogas e álcool pela manhã.

Com uma faca em mãos, o caseiro obrigou a vítima a entrar em um dos quartos da residência com ele. Com a negativa, o agressor desferiu vários golpes contra as costas da mulher. A faca chegou a quebrar e, depois disso, Wanderson fugiu pulando os muros e se escondeu em uma casa próxima.

Em novembro de 2020, Wanderson teria, ainda, matado um taxista em São Gotardo (MG), a quase 550 km de distância de Brasília. A vítima era Maurício Lopes Mariano, que tinha 25 anos. O acusado teve ajuda de dois menores de idade e um adulto. Wanderson foi indiciado pelos crimes de latrocínio, extorsão, corrupção de menores e tráfico. Nove dias depois da prisão, em 4 de dezembro, o inquérito foi concluído e enviado à Justiça de MG.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.