Homem estupra e engravida a filha de 12 anos e esmaga dedo da ex-mulher

Screenshot 20210930 124418

O homem responde por dois crimes: agressão contra a ex-companheira e estupro de vulnerável contra a própria filha

Um homem de 47 anos foi preso após estuprar e engravidar a filha de 12 anos e ainda esmagar o dedo da ex-companheira durante agressões em Taiobeiras, no Norte de Minas Gerais. De acordo com a Polícia Civil, o crime foi descoberto depois que a adolescente foi morar com a mãe biológica que identificou que a filha estava grávida e que ela e o pai mantinham muitas conversas em segredo.

O mandado de prisão preventiva do homem foi cumprido na última terça-feira (28), mas foi divulgado nesta quinta-feira (30). As investigações sobre o suspeito começaram depois que ele agrediu e tentou matar a ex-companheira, que era madrasta da adolescente de 12 anos. 

No dia 25 de dezembro do ano passado, o suspeito esmagou o dedo da mulher de 35 anos. Ela deu entrada em um hospital da cidade em estado grave, com  lesões também no pescoço e na perna. A polícia foi acionada. Foi requerido um mandado de prisão do suspeito por conta das agressões, mas ele ficou foragido. 

Neste meio tempo, a menina passou a morar com a mãe biológica que percebeu que ela estava grávida. A filha, no entanto, não ficava confortável para falar sobre o assunto com a mulher. Ela ainda conversava com o pai pelo celular. O homem se escondeu em um matagal quando estava foragido.

A pedido do pai, a mãe da adolescente a levava a esse matagal para que ela pudesse ver o genitor. A mulher começou a desconfiar de abusos sexuais porque tudo que pai e filha conversavam era em segredo. A menina apagava as conversas pelo celular e pessoalmente a mãe não participava do que era conversado.  Desconfiada, a mulher questionou o suspeito e ele a ameaçou dizendo que não era para ela se envolver no assunto.

Após a emissão do mandado de prisão, em 25 de dezembro,  por  crime previsto na Lei Maria da Penha em desfavor da ex-companheira, o suspeito só foi preso em 16 de junho deste ano, quando foi encontrado em um matagal com um colchão e bebidas. Neste tempo ele manteve encontros com a filha. 

Apesar da prisão, as investigações continuaram devido a nova denúncia de que o homem teria também abusado e engravidado a filha, o que foi confirmado nas apurações.  “Diante da gravidade dos fatos foi requerido um novo mandado de prisão para o suspeito, pelo crime de estupro de vulnerável praticado em desfavor da filha”, explicou o delegado Alessandro da Silva Lopes.

Além disso, segundo ele, a rede de proteção social foi chamada para acompanhar o caso e assegurar a integridade física da vítima, com acompanhamento médico e psicossocial. “A Polícia Civil, além de exercer a sua função institucional, se preocupa em amparar as vítimas de violência”, destacou o delegado.

O suspeito permanece no sistema prisional e à disposição da Justiça.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.