Homem espanca mulher, esfaqueia e mutila corpo quando ela ainda estava viva.

Crime bárbaro chocou os peritos criminais mais experientes. Nádia Xavier da Silva, 37 anos, teve os lábios arrancados com uma peixeira.

A recepcionista Nádia Xavier da Silva, de 37 anos, foi brutalmente espancada e, depois, esfaqueada dezenas de vezes. Por fim, sofreu mutilações quando ainda agonizava. Com requintes de crueldade, o feminicídio ocorrido no domingo (28/3), em Formosa, no Entorno do DF, chocou os policiais e peritos criminais mais experientes.

A barbárie foi cometida pelo companheiro de Nádia, o soldador Ramiclid Bruno Alves, 31 anos, que se enforcou após assassinar a mulher. Parentes do casal desconfiaram que ninguém atendia os telefones e foram até o local. O cenário, segundo os primeiros policiais que entraram no imóvel, era de terror.

Um cabo de vassoura ensanguentado estava ao lado do corpo e suspeita-se que Nádia teria sido empalada pelo algoz.

Segundo um dos peritos que analisaram o local de crime, havia muitas garrafas de cerveja vazias sobre a mesa. “Pela dinâmica, eles beberam muito e, logo depois, houve um desentendimento. Ela foi espancada brutalmente em uma área externa, onde havia muito sangue. Seu nariz tambpem foi quebrado em razão da violência empregada”, explicou um dos peritos, que preferiu não se identificar.

Em seguida, o homem usou uma peixeira e cortou o cabelo da mulher, arrancou partes de seus lábios e a jogou na cama de um dos quartos. “Ele ainda cortou pedaços do corpo dela, a mutilando e, no final, enterrou a faca tão profundamente que a impressão é que a vítima havia sido morta com uma estaca, pois só o cabo estava aparente”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.